PAC 3 pode incluir duplicação da BR-386

O governo do Estado propõe que a duplicação da BR-386 seja incluída nas obras prioritárias no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3). Nesta quarta-feira, dia 9, o governador Tarso Genro se reuniu com o presidente da Empresa de Planejamento e Logística, Paulo Sérgio Passos (ex-ministro dos Transportes).

De acordo com Passos, a entrada da obra no PAC 3 é possível. A duplicação do trecho é uma das mais aguardadas da região devido ao fluxo de veículos, principalmente de caminhões. Conhecida como a “Estrada da Produção”, a rodovia tem 450 quilômetros entre a Região Metropolitana e o Norte do Estado, 80% deles em pista simples.

Para a presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Cíntia Agostini, a duplicação é fundamental para o desenvolvimento do Estado, além de dar mais segurança, evitando acidentes fatais. “Não há como pensar o PAC 3 sem a duplicação da BR-386.” Segundo ela, tanto o governador quanto a presidente Dilma Rousseff sabem da importância da rodovia.

O Dnit elabora estudos para avaliar os custos da duplicação no trecho entre Lajeado e Iraí, na divisa com Santa Catarina. A conclusão do estudo está prevista para o meio do ano.

Duas opções

A inclusão da obra no PAC é a melhor solução, pois não haveria custos para o Estado, diz o coordenador da Comissão Pró-duplicação, José Luiz Cenci. Além dessa possibilidade, frisa, também pode-se privatizar a rodovia.

Cenci afirma que a comissão precisa estar preparada para participar da decisão, e para isso é necessária a conclusão do projeto executivo. “Precisamos saber o que queremos da rodovia.”

Até hoje, apenas um trecho da BR é duplicado, entre Canoas e Tabaí. O segundo percurso, entre Tabaí e Estrela, está com a pavimentação em andamento.

Também há o impasse entre Funai e Dnit para a entrada das máquinas em dois quilômetros próximos da aldeia caingangue.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...