O desafio das montanhas

A última reunião-almoço do ano realizada na sexta-feira, 08 de dezembro, promovida pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviço de Estrela (Cacis), foi com o médico-cirurgião de olhos, Mauro Antonio Chies. Ele falou sobre negócios e montanhas.
Desde pequeno, Mauro tinha curiosidade em aprender assuntos distintos. No início, queria ser astronauta, assim como baterista, chegando até a estudar por um tempo o instrumento que, segundo ele, mais tarde, seria de grande valia. “Não existe conhecimento inútil. Se não tivesse estudado bateria, algo tão remotamente diferente da medicina, não teria tanta destreza e coordenação para realizar as delicadas cirurgias que faço hoje em meu trabalho”.
Após um longo período de dedicação exclusiva aos estudos de medicina, especializando-se em oftalmologia, Chies decidiu fazer vários cursos em outras áreas, incluindo mergulho, voo de parapente e trekking. Foi nessa época que entrou para o projeto Sete Cumes, que consiste na escalada das maiores montanhas dos sete continentes. Para isso, enfrentou um período de preparação para melhorar o condicionamento físico. Sua estreia foi no Aconcágua, Argentina. Lá, aprendeu a primeira lição. “Temos que esperar o momento certo. Não tem distração. Basta ter foco”, analisa.
Dali para a próxima aventura, não demorou muito. Porém, os longos períodos de ausência custaram-lhe o casamento, que também estava ligado ao trabalho, já que dividia a clínica com a ex-esposa. Mas Mauro também tirou do episódio um aprendizado. “Negócios são tão desafiadores quanto as montanhas. Além disso, nossas metas mudarão durante a caminhada. É preciso fazer ajustes”. Decidido a traçar uma nova rota em sua trajetória profissional. o médico deu início à criação de sua própria clínica.
Após várias outras expedições a montanhas, Chies prepara-se para enfrentar a maior de todas: o monte Everest, na Ásia. Para ele, sem esforço e dedicação, nada vale a pena. E foi nas montanhas que ele buscou inspiração para citar a frase do naturalista John Muir. “Quando ouvir o chamado da sua montanha particular, vá”.

 

Fonte Dobro Comunicação

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...