Novo Centro de Distribuição da Cooperativa Languiru entra em operação

No dia 15 de janeiro entrou em operação o novo Centro de Distribuição Vale do Taquari, unidade da Cooperativa Languiru localizada no Bairro Teutônia, próxima à rodovia ERS-128 (Via Láctea) e à Indústria de Laticínios, em Teutônia. Sua localização centralizada entre as unidades industriais da cooperativa agiliza e facilita o trabalho de logística.

“Com este espaço procuramos atender às necessidades e expectativas dos clientes da Languiru, com menor movimentação e custo logístico, além de redução de custos com aluguel de prédios para armazenagem”, destaca o gerente comercial da Languiru, Jaime Rückert.

Infraestrutura

O local conta com área total de 5, 2 mil metros quadrados, divididos em dois pavimentos, com capacidade de armazenagem de 2,4 milhões de litros de leite UHT, além de câmaras frias para cerca de 260 toneladas de produtos congelados, aproximadamente 80 toneladas de produtos resfriados de aves e suínos, e em torno de outros 320 pallets de laticínios. De sua área construída, 1, 1 mil metros quadrados são destinados às câmeras frias na parte superior do prédio. A área seca, com 800 metros quadrados, ainda serve de armazenagem para embalagens e produtos derivados de leite que não necessitam de refrigeração.

Localizado na Rua Waldemar Dahmer, o novo CD atende ao Vale do Taquari e a regiões vizinhas, como a região de Caxias do Sul e o Vale do Rio Pardo. Na estrutura estão alocados os departamentos de Logística, Comercial (faturamento e pedidos), Vendas Vale do Taquari e Operação CD.

Benefícios

O presidente da Languiru, Dirceu Bayer, ressalta que a nova estrutura se fez necessária, considerando o crescimento da cooperativa. “Em virtude do grande crescimento da Languiru nas áreas do leite, aves e suínos, houve uma necessidade de reforço dessa estrutura de Central de Distribuição para mantermos o resfriamento e o congelamento dos produtos. Além disso, é uma exigência do próprio Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que cobra um local de carregamento único. Isso nos dá um ganho bastante grande em logística, pois o fracionamento que antes era realizado em cada uma das nossas unidades industriais (Frigoríficos de Aves e Suínos e Indústria de Laticínios), agora é feito num único Centro de Distribuição. Com isso ainda desafogamos as unidades fabris em termos de espaço para estocagem”, justifica.

O vice-presidente Renato Kreimeier compartilha deste ponto de vista. “A atual situação econômica do Brasil exige que as empresas se reinventem diariamente, buscando melhorias e eficiência. O novo CD vai ao encontro da redução de custos e busca atender cada vez melhor os nossos clientes, além de atender às exigências do MAPA. Este local serve de ‘pulmão’ para atender aos demais Centros de Distribuição da Languiru no Estado”, afirma.

Em recente vistoria, os profissionais do Serviço de Inspeção Federal (SIF) e da Vigilância Sanitária (Visa) elogiaram o investimento da Languiru no novo CD, enaltecendo os cuidados da cooperativa em oferecer produtos de qualidade que levam em consideração a conservação, a armazenagem e a manipulação dos produtos industrializados. “Isso demostra a preocupação da Languiru com seus produtos e clientes”, acrescenta o coordenador administrativo, Valdir Utzig.

Investimentos

A Cooperativa Languiru foi beneficiada com recursos concedidos pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). A assinatura do contrato de financiamento ocorreu no dia 29 de junho de 2015, em solenidade no Palácio Piratini, em Porto Alegre, com a presença do governador José Ivo Sartori.

O valor foi investido pela cooperativa teutoniense na aquisição e adaptação do seu novo Centro de Distribuição Vale do Taquari, cujo prédio foi adquirido, em negociação realizada ainda em 2014, da coirmã Cooperativa Regional de Desenvolvimento Teutônia – Certel.

“A Languiru está muito atenta à situação econômica do país. A aquisição do prédio da Certel foi uma oportunidade de negócio, boa para as duas cooperativas. A Languiru necessitava de um amplo espaço com câmaras frias para estocagem de seus produtos”, já dizia na época o presidente Dirceu Bayer.

Por ocasião da assinatura do contrato, o governador Sartori ressaltou que “estes investimentos representam o esforço do governo no sentido de impulsionar o agronegócio e sua competitividade. Queremos dar ânimo aos projetos das cooperativas e criar um ambiente propício para o desenvolvimento. Sabemos que mais de 125 mil famílias gaúchas tiram seu sustento da bacia leiteira”.

O secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Tarcísio Minetto, também falou da importância desses recursos para a economia do Estado. “São investimentos importantes para contribuir como alternativa para o atual momento econômico. O aporte de recursos permite novos investimentos e contribui para o desenvolvimento regional e do Estado, num momento em que temos dificuldades econômicas e financeiras em todo país.”

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...