Novo caminhão da Secretaria da Agricultura de Anta Gorda atende a demanda de produtores

Edson Mucelin é um dos produtores antagordenses que solicitou e foi beneficiado com o serviço de transporte de dejetos, prestado pela Secretaria da Agricultura de Anta Gorda. Ele trabalha ao lado de seu irmão Ivanor e esposa Mônica. Possui uma propriedade de 14 hectares, localizada na Linha Doutor Borges de Medeiros (Sangão). Com o material transportado pelo novo caminhão tanque do município, fará a adubação da metade de suas terras. “Recebi quatro cargas e estou satisfeito com essa nova facilidade. Era uma reivindicação antiga, especialmente para nós, pequenos produtores, que não possuímos trator. Se fossemos comprar insumos, gastaríamos bem mais para ter o mesmo resultado”, conta.

O veículo, da marca Volvo, chegou ao município no dia 18 de junho. Através de uma verba federal do Ministério da Agricultura (R$ 190.125,00) e contrapartida municipal (R$ 30.875,00), custou R$ 221 mil. Após ajustes técnicos e treinamento de motoristas, os trabalhos iniciaram na segunda quinzena de julho. Sua utilidade básica é auxiliar a produtores familiares com o transporte de dejetos de suínos e bovinos.

Segundo o secretário da Agricultura, Arlei Eder Garaffa, os principais beneficiados serão os produtores de leite que optam pelo sistema de pastagens. “Os dejetos de animais substituem adubos industrializados, mas quem trabalha com suínos também será favorecido pois se preocupará menos com a correta destinação”, afirma Arlei.

É o caso de Vitor Rigoni, proprietário de uma granja da Linha Dossena. Ele maneja a produção de aproximadamente 10 mil suínos, que geram em torno de 100 mil litros de dejetos por mês. “Vemos com bons olhos essa nova opção do município, pois temos a obrigação de dar o destino adequado para toda essa quantia e uma das maiores dificuldades sempre foi o transporte. Com certeza isso agora será facilitado”, explica.

O secretário Arlei acrescenta que a capacidade de atendimento é de aproximadamente sete produtores por semana, dependendo da distância entre as propriedades. “Até agora já atendemos 27 e temos outros 24 agendados. A demanda inicial era grande, mas estamos conseguindo normalizar. O atendimento ocorre de maneira eficaz. A colaboração de todos é importante, pois respeitamos a ordem de inscrição e o cronograma dos serviços”, informa. Garaffa ainda lembra são cobrados do produtor apenas os custos de deslocamento. Os que tiverem interesse devem agendar com antecedência para que seja possível programar o auxílio.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...