Nova peletizadora possibilita melhor conversão alimentar

Com o início das operações em março de 2013, a nova peletizadora da Fábrica de Rações Languiru, em Estrela, beneficia diretamente associados e clientes da cooperativa, com possibilidade de incremento econômico no trato dos animais. Com investimento de cerca de R$ 4 milhões na máquina, em infraestrutura e automação das linhas de produção, a ração peletizada contribui para significativa melhora na conversão alimentar, ou seja, os animais consomem menos volume de ração para alcançarem maior peso para abate.

“O reflexo do maior peso representa maior viabilidade econômica da produção e aumenta, inclusive, a capacidade produtiva dos frigoríficos de aves e suínos da Languiru”, destaca o nutricionista da Fábrica de Rações, Joel Girardello. Além disso, a ração peletizada possibilita menor desperdício; melhor fluxo da ração nos silos e comedouros, evitando danos ao equipamento; menor necessidade de mão de obra para o trato; e melhor aproveitamento do alimento por parte dos animais.

“Praticamente um ano após a sua instalação, o equipamento tem nos dado o resultado esperado, inclusive com a possibilidade de peletização de maior variedade de rações, com maior qualidade dos pelets. Nas propriedades de associados e clientes das Rações Languiru, percebe-se também a facilidade na regulagem de comedouros e maior eficiência no ganho de peso dos animais destinados ao abate”, acrescenta o gerente da Fábrica de Rações, Fabiano Leonhardt.

Entre outros benefícios da ração peletizada, Girardello ressalta que a mesma gera menos desperdício, além de contribuir com o aumento da digestibilidade do alimento, facilitando o consumo pelo animal e evitando a ingestão de pó pela inspiração. A peletização também aumenta a conservação do produto, por ter sido tratada pelo calor, e reduz a possibilidade de contaminação bacteriana.

As rações das integrações de aves e suínos são produzidas com os mais altos padrões nutricionais mundiais. Esse conhecimento também é aplicado nas rações comerciais, como do gado leiteiro, com foco no desempenho e retorno econômico dos associados e clientes da Languiru.

“Estamos empenhados no aumento da produtividade das atuais linhas e peletizadoras, buscando automatizar o que for possível. Hoje produzimos 32 mil toneladas de ração por mês, em mais de 120 produtos, e os investimentos são necessários para atender o aumento da demanda futura”, conclui Leonhardt.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...