Nova diretoria – Mariza Wolf é a primeira mulher na presidência da CIC Teutônia

Eleição e posse ocorreram em assembleia na noite de 28 de março

A casa do empresário, representatividade, associativismo, desenvolvimento, empreendedorismo e soluções. Essas palavras nortearam os discursos e deram cores ao banner da CIC Teutônia durante Assembleia Geral Ordinária realizada na noite de 28 de março. Tendo por local o Auditório 03 da entidade empresarial, a ordem do dia contou com prestação de contas, compreendendo relatório de atividades do ano de 2017, demonstrativos contábeis do último exercício, parecer do Conselho Fiscal, alteração da contribuição dos associados e eleição e posse da Diretoria e do Conselho Fiscal para a gestão 2018-2019.

Eleição

Com chapa única colocada à disposição, a Diretoria Executiva, tesoureiros e integrantes titulares e efetivos do Conselho Fiscal foram eleitos por aclamação.

Mariza Wolf, da Indústria de Móveis MW, foi eleita a primeira mulher presidente da CIC Teutônia, tendo como vice-presidente geral outra representante do sexo feminino, Caroline Immich, da Bella Luna Aromas. “É uma grande honra assumir a presidência da entidade e ser a primeira mulher a ocupar o cargo. Minha caminhada na CIC vem de longa data, porém, nunca imaginei ocupar a presidência, até o dia em que fui convidada para ser a vice-presidente”, disse Mariza, que na gestão anterior, presidida por Renato Lauri Scheffler, ocupava o cargo de vice-presidente geral da entidade.

Em seu discurso de posse, a nova presidente enalteceu a dedicação e trabalho de parceria. “É um grande desafio representar as cerca de 500 empresas associadas, de inúmeros segmentos de atuação. Contudo, como posso contar com uma excelente equipe diretiva e incansáveis colaboradores, estou certa que isso facilitará o meu trabalho, o qual será desenvolvido tendo como princípios a ética e a responsabilidade”, disse.

Mariza adiantou que o trabalho realizado pelas diretorias anteriores deve ter continuidade, com base no Planejamento Estratégico, “o qual deverá ser revisto e atualizado para os próximos anos, sempre pensando nas necessidades de nossos associados”. Ela ainda frisou que a meta é “promover parcerias para fortalecer as empresas associadas com a realização de cursos, palestras e a formação de núcleos de desenvolvimento”.

Por fim, Mariza fez um apelo aos associados da entidade: “participem das atividades da CIC, pois elas são realizadas visando o seu benefício e desenvolvimento. Precisamos nos mobilizar, uma entidade só é forte com a união de todos. A CIC não é somente sua diretoria e seus funcionários, a CIC somos todos nós”, concluiu, agradecendo a todos os diretores voluntários que a antecederam e aos que integram a nova diretoria.

“Ruptura de valores”

Em seu discurso, a presidente da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), Simone Leite, citou a filósofa russo-americana Ayn Rand, que em 1920 afirmou: “Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada”, leu Simone, referindo-se ao atual cenário econômico e político. “O sufocamento das atividades produtivas envolvendo empreendedores e empregados chegou a uma situação limite, onde a grande parcela que produz para sustentar o Estado questiona a validade de continuar investindo. A capacidade produtiva, única solução real para a crise, tornou-se refém da situação”, acrescentou.

Nesse contexto, Simone enalteceu o trabalho das entidades empresariais, parabenizando a atuação da CIC Teutônia. “Neste cenário conturbado, ainda existem verdadeiros refúgios de moralidade, como nossas associações comerciais, que reúnem homens e mulheres que fazem a diferença, agindo de maneira ética e correta. Já que somos, todos, parte do problema, teremos que fazer parte da solução enquanto a terra está fértil para boas ideias. Quem inspira confiança cria laços profundos”, finalizou, desejando uma caminhada abençoada aos novos diretores da CIC Teutônia e parabenizando a diretoria anterior. “No Vale do Taquari percebemos que o associativismo pulsa mais forte.”

Continuidade

Em seu discurso, o agora ex-presidente Renato Scheffler, que passa a ocupar o cargo de vice-presidente de Infraestrutura, agradeceu pelo voto de confiança. “Responsabilidade, seriedade e transparência devem nortear nosso trabalho, ouvindo os pares de diretoria e os associados”, frisou, mencionando a união entre diretores e o empenho de toda equipe da CIC.

Igualmente citou o trabalho de interação com as entidades empresariais coirmãs na representação dos interesses da região, bem como o apoio das entidades estaduais. “A troca de experiências nos fortalece, possibilitando que sejam ofertadas novas alternativas aos nossos associados. São momentos únicos que incrementam o conhecimento. A classe empresarial precisa ser valorizada, são as empresas que possibilitam qualidade de vida, ofertando empregos e gerando renda à população. Além da importância econômica, os empreendedores possuem grande importância social”, concluiu, desejando sucesso à diretoria da CIC eleita para a gestão 2018-2019, na expectativa de que o trabalho iniciado em 1999, com a fundação da CIC, tenha continuidade.

União

O presidente da CIC Vale do Taquari, Ito Lanius, parabenizou a CIC Teutônia pelo trabalho. “Trata-se da maior entidade em número de associados da região, fruto do comprometimento de todos. A iniciativa privada, os empreendedores, aqueles que acreditam que é possível fazer mais e melhor, esses merecem a devida valorização”, disse.

O presidente da Associação Gaúcha para o Desenvolvimento do Varejo (AGV), Ricardo Diedrich, relatou o envolvimento regional com as grandes discussões estaduais pelo desenvolvimento, reafirmando a importância do trabalho conjunto. “Os novos diretores empossados devem contribuir com novas ideias, pois sabemos que muitas cabeças pensantes geram mais e melhores resultados”, falando ainda sobre um cenário mais otimista para o ano de 2018 e alertando para o período eleitoral.

Gestão 2018-2019

A nova diretoria da CIC Teutônia para a gestão 2018-2019 conta com a presidente Mariza Wolf; vice-presidente Caroline Immich; vice-presidente da Indústria, Airton José Kist; vice-presidente do Comércio, Robson Luís de Souza; vice-presidente de Serviços, Gustavo Luiz Schnoremberger; vice-presidente de Infraestrutura, Renato Lauri Scheffler; tesoureiro Frederico Adolfo Dahmer; vice-tesoureira Tânia Maria Schardong; titulares do Conselho Fiscal, Neori Ernani Abel, Ivandro Carlos Rosa e Valmor Kaufmann, com os suplentes Rainer Büneker, Henrique Klepker e Marcelo Reinheimer. Cada vice-presidência ainda conta com seus diretores setoriais, totalizando mais 29 diretores.

Relatório de atividades e prestação de contas

A secretária-executiva da CIC, Carina Schulte Bolfe, apresentou o relatório de atividades da entidade, destacando eventos diferenciados, como a 1ª Teutofrangofest, que será reeditada no período de 17 a 19 de agosto de 2018; e o 1º Feirão do Comércio de Teutônia, com nova edição prevista para 2019. Entre números, ênfase aos 491 associados no fim de 2017, os mais de 30 treinamentos com a participação de cerca de 2,7 mil pessoas, as diversas ações voluntárias, reuniões da diretoria, ações de representatividade e atividades dos setores de SCPC, Convênios e Recepção.

“A filosofia empresarial norteia as atividades da CIC e a colaboração de todos é essencial para que a entidade seja cada vez melhor e mais eficiente na representação dos seus associados. Em termos de eventos de capacitação e qualificação, a CIC é referência nos Vales do Taquari e Rio Pardo em número de envolvidos. A ‘casa do empresário’ é, de fato, do associado”, enalteceu Carina.

Ela também detalhou as campanhas promocionais de incentivo ao comércio local, com quatro edições no último ano, que envolveram mais de 120 empresas e distribuíram mais de um milhão de cautelas. “É uma forma de motivar as compras e oferecer algo diferente aos clientes, num trabalho em conjunto com os associados”, frisou.

As demonstrações contábeis foram apresentadas pelo contador da CIC, Ovídio Driemeyer, as quais foram aprovadas por unanimidade. Na oportunidade os associados presentes à assembleia ainda aprovaram de forma unânime a majoração no valor das mensalidades.

Fonte Leandro Augusto Hamester

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...