Négocio da propriedade rural é tema de palestra para jovens da Dália

“É possível transformar a pequena propriedade em um grande negócio.” A afirmação é do secretário de Agricultura e Pesca do Estado de Santa Catarina, Airton Spies, que falou aos jovens associados e filhos de associados da Dália Alimentos, na sexta-feira, dia 19, durante o Encontro Anual de Jovens.

Cerca de 200 pessoas reuniram-se no Auditório Itália do Centro Administrativo de Encantado para ouvir às explanações do titular da pasta, que destacou a experiência que teve na Nova Zelândia e na Austrália, as oportunidades do agronegócio e também frisou as políticas públicas aplicadas pelo Governo do Estado de Santa Catarina junto às famílias e aos jovens rurais.

Para Spies, o setor dos alimentos está em franco crescimento e o meio agrícola transformou-se em um ambiente que não aceita mais amadores. Na visão do secretário é preciso trabalhar com foco e gestão, voltando os olhos para a propriedade como um negócio, um empreendimento que demanda organização e gestão. “Vocês deixaram de ser a geração de agricultores por acaso e agora são a geração de agricultores por opção”, disse.

Segundo ele, Santa Catarina conta com o Programa SC Rural, que dispõe de verba do Banco Mundial para incentivo também aos jovens nas demandas de empreendedorismo e gestão. “Por ano, são cerca de R$ 600 milhões disponibilizados em políticas públicas direcionadas à agricultura, inclusive à juventude rural.”

Na visão do secretário de Estado, é preciso que o jovem rural busque pela qualificação e profissionalização. “O diálogo com os pais, a busca pela assessoria técnica, fazer e executar um bom plano de negócios, saber conceitos de planejamento e de gestão, estar presente e atuante na tomada de decisões e ter atitudes empreendedoras são fatores que contribuem para que os jovens comecem a enxergar a propriedade como um grande negócio multiplicador de dinheiro.”

Compartilhando informações

Neste ano, o encontro contou com uma mesa redonda para o compartilhamento de informações. Participou, além de Spies, o presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini; o presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas; e o professor do Projeto Sucessão Familiar da Dália Alimentos, Lucildo Ahlert.

Na condição de coordenador, Piccinini ressaltou que o encontro foi um dia marcante, não somente por encerrar o calendário de eventos sociais da Dália Alimentos, mas também por promover um vasto conhecimento. “Foi um momento para apresentar as oportunidades que podem agregar renda, fazer a propriedade crescer e estimular a juventude rural a ser empreendedora.” E complementa: “Os jovens voltaram para casa com diversas informações que contribuirão para a projeção de futuro, tomada de decisões e gerenciamento da propriedade”, comentou.

Piccinini também fez uma retrospectiva sobre os encontros de jovens já realizados pela cooperativa desde 2005.

Avicultura associativa

O presidente Executivo da Dália Alimentos, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, levou ao evento a preocupação que a cooperativa tem em formatar e executar projetos que estimulem os jovens a permanecerem nas propriedades. Por isso, adiantou a inserção da cooperativa no segmento avícola por meio da construção de um abatedouro, de uma fábrica de rações e de um incubatório a partir de 2015.

Com uma proposta inovadora, Freitas revelou que o objetivo da Dália é desenvolver um projeto associativo, principalmente direcionado aos jovens associados, onde não serão construídos aviários individuais, como o modelo atual, mas sim projetos associativos. “A ideia consiste em buscar recursos para construir núcleos com pavilhões, inserindo nossos associados como sócios do processo produtivo. Será um trabalho conjunto entre a cooperativa, as famílias e os jovens.”

Apresentações

O encontro contou com apresentações de talentos locais. Pela manhã o mini-tenor Vitor Fernandes Delazeri encantou o público com sua voz. Com apenas 11 anos, o menino, que aprecia o canto lírico, entoou as canções “Amigos para Sempre” e “Natal Todo Dia.”

Pela tarde, o Grupo de Artes Nativas (GAN) Anita Garibaldi, por meio de Os Birivas, levou um pouco da cultura gaúcha e tropeira ao palco. No encerramento do evento, cada jovem participante recebeu uma camiseta do projeto, um boné e um achocolatado Choco + Latte Dália.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...