“Não deixem que atrapalhem o trabalho que vocês já fazem pela segurança pública em Teutônia”

Jornalista e jurista Cláudio Brito palestra em Almoço Empresarial da CIC e enaltece envolvimento da comunidade

No dia 06 de abril a CIC Teutônia realizou a segunda edição do Almoço Empresarial de 2017. Na oportunidade o jornalista e jurista Cláudio Brito abordou o tema “Segurança pública: direitos e responsabilidades da sociedade”. A programação do evento ainda contou com homenagens e teve a participação de associados, empresários, diretoria da entidade, autoridades políticas, civis e militares, representantes de órgãos de segurança locais e regionais, além da imprensa.

Reconhecimento

“Este é mais um importante momento para tratarmos do tema segurança pública, uma questão que preocupa a toda sociedade. Teutônia está unida e empenhada, fazendo a sua parte, com envolvimento da comunidade, dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, juntamente com o Consepro, a Brigada Militar, a Polícia Civil, a Polícia Rodoviária Estadual, o Corpo de Bombeiros Voluntários, o Ministério Público, as entidades e as empresas, todos fazendo a sua parte, com investimentos em infraestrutura e em recursos, procurando suprir, na medida do possível, o déficit de investimentos por parte do Estado e da União”, enalteceu o presidente da CIC, Renato Scheffler, na abertura do evento.
Na oportunidade a entidade empresarial organizou momento especial para homenagear a atual Administração Municipal e os ex-prefeitos de Teutônia, uma forma de reconhecimento pela atenção dada à segurança pública. O prefeito Jonatan Brönstrup e os ex-prefeitos Renato Altmann, Silvério Luersen, Ricardo Brönstrup e Elton Klepker (em memória, representado pelo neto Henrique Klepker), além do presidente do Consepro, Egon Fritzen, e do palestrante Cláudio Brito, receberam mimo como forma de gratidão da CIC pelos trabalhos prestados.

“Vocês sabem fazer muito”

Cláudio Brito iniciou a palestra apresentando breve histórico profissional no campo do judiciário e do jornalismo, lembrando seus vínculos com a comunidade do Vale do Taquari, especialmente na década de 80. Sobre o tema segurança pública, ele foi enfático: “não tenho nada para dizer a vocês que já não saibam ou já não façam. A única advertência que eu faria é que ‘gritem’ para que não os atrapalhem, não deixem que atrapalhem o trabalho que vocês já fazem pela segurança pública em Teutônia. A união de vocês é um grande aprendizado, serve de exemplo para muitas cidades e governos. Vocês representam o verdadeiro espírito comunitário, de um jeito puro e sincero.” Para Brito, o trabalho em segurança pública realizado por Teutônia é exemplo de “transparência de valores financeiros arrecadados e investidos”.
Entre outros elogios, o palestrante reafirmou que Teutônia mostra que é possível ser diferente. “Somente atuando da forma como vocês atuam aqui é que se consegue vencer a luta contra a violência e a criminalidade”, acrescentou.
Brito também se pronunciou sobre a atual situação do sistema prisional. “A impunidade nos cansa, mas os presídios estão lotados, a mercê das facções criminosas. A Brigada Militar deve estar no seu lugar e não no Presídio Central, mas não me tirem a BM de lá agora, pois teremos um ou dois motins por dia.” Nesse contexto, ainda destacou a necessidade de atenção à saúde e à sanidade nos presídios. “Imaginem se esses cinco mil apenados não tivessem a estrutura que lá tem. Com as visitas que recebem, o presidio seria um grande vetor de doenças”, acrescentou.

APAC

Brito reforçou a importância do método APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados), afirmando que o Vale do Taquari é uma região adequada para implantar esse sistema. “O próximo passo, e não vejo outro lugar em que isso possa acontecer a não ser nesta região, é a experiência vitoriosa do método APAC, e não um Presídio Central do jeito que se encontra”, opinou.
Conforme explicou o palestrante, pelo método APAC uma associação comunitária é a gestora de execução da pena. “Minas Gerias é pioneiro neste sistema e conta com experiências vitoriosas. O conceito de cadeias imensas acabou, no máximo um presídio regional com 250 vagas. Com isso, os apenados do método APAC voltam à comunidade trabalhando. Vamos arrumar emprego ou assalto passa essas pessoas? Se fala de justiça restaurativa, que passa pela catarse de criminoso e vítima apertarem as mãos. Só há uma possibilidade de reequilibrarmos esta relação das pessoas, e só vejo um lugar para isso, que é o Vale do Taquari, por tudo que já fez e pelo que venho aprendendo aqui há exatos 35 anos”, sentenciou.
Bastante emocionado, Brito recordou e reforçou sua gratidão à Polícia Civil e à Brigada Militar. “Muitas lembranças e experiências, valiosas e inesquecíveis”, disse, finalizando com mais elogios ao município de Teutônia. “Não vim para cá para uma palestra técnica, mas sim para procurar abrir a alma. Vocês já são vitoriosos, sabem como fazer, não desistam, sigam a ideia. Estou aqui disposto a colaborar e vim para aprender. Que os acordos assinados, como o da Integração, contemplem adequadamente regiões como a de vocês. Teutônia e o Vale do Taquari devem seguir fiéis aos seus princípios e valores, passados de geração em geração”, concluiu Brito.

Fonte Leandro Augusto Hamester

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...