Modelo cooperativo europeu é foco de viagem realizada pelo Sicredi Região dos Vales

Uma comitiva formada por executivos do Sicredi Região dos Vales esteve visitando à Europa com o objetivo promover o conhecimento sobre países que se destacam em indicadores de desenvolvimento econômico e social e sobre a forma de atuação de entidades e instituições cooperativas.

Inglaterra, Irlanda, Noruega, Dinamarca, Suécia e Finlândia foram os países visitados pelo grupo. Conforme o Relatório de Desenvolvimento Humano, promovido pelo Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas, a maioria destes países se destaca entre os maiores IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano) do mundo, indicador criado para medir as três dimensões básicas do desenvolvimento humano: renda, educação e saúde. A Noruega, por exemplo, um dos países visitados, tem o melhor IDH do planeta, a maior renda per capita do mundo e por vários anos, apresenta o maior nível de qualidade de vida.

Dentre as visitas técnicas realizadas, destaque para a Dinamarca e Suécia, onde o cooperativismo tem grande relevância. Na Dinamarca, o país com o mais alto nível de igualdade de riquezas do mundo, conforme o Coeficiente de Gini, criado pelo estatístico Corrado Gini e utilizado pela ONU e Banco Mundial em diversos campos de estudo, o cooperativismo conglomera diferentes segmentos, é responsável por 50% da economia e representa 80% de toda a produção dinamarquesa.

Na Dinamarca, o grupo visitou a Kooperationen – Organização das Cooperativas da Dinamarca, a Kopenhagen Fur, cooperativa e maior fornecedora de peles do país e o Arbejdernes Landsbank, banco cooperativo escolhido como instituição financeira preferida pelos dinamarqueses. Na Suécia, a comitiva conheceu a forma de atuação do Landshypotek Bank, banco cooperativo que detém 28% do mercado sueco e que está voltado ao atendimento de agricultores e silvicultores e a LFR (Federação Sueca de Agricultores e Silvicultores), que atualmente possui 170 mil membros. Considerada a maior organização de pequenas e médias empresas do País, quase todas as cooperativas voltadas à agricultura e silvicultura sueca estão ligadas à LFR. O grupo também conheceu a Lantmannen, uma das maiores cooperativas da Suécia, cujo faturamento no último ano foi de R$ 10 bilhões. Com negócios ligados à produção de alimentos, maquinários e energia, possuem 32.000 associados, 8.500 funcionários e atuam em mais de 20 países.

Para o presidente do Sicredi Região dos Vales, Ricardo Cé, a viagem reforça a convicção de que os governos e as empresas, cooperativas ou não, só tem uma razão de ser – melhorar a qualidade de vida das pessoas.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...