Ministério russo sinaliza para exportação de leite em pó Dália

A Dália Alimentos aguarda somente o parecer e a emissão de uma circular do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) brasileiro para, então, dar início à exportação de leite em pó para a União Aduaneira.

No dia 4 de setembro, uma lista com 13 novas plantas de lácteos habilitadas para exportar foi emitida pelo Ministério da Agricultura Russo, o “Rosselkhoznadzor”, autorizando a venda de leite para a Rússia, a Bielorrússia, o Cazaquistão e o Quirguistão – países que compõem a União Aduaneira. A publicação do documento pelo Ministério Russo em site oficial ocorreu no dia 8 de setembro, autorizando a exportação de leite e seus derivados.

Conforme a supervisora de Exportação da Dália Alimentos, Márcia Daltoé, resta aguardar que o Ministério da Agricultura do Brasil cumpra a formalidade e emita uma circular oficial informando sobre a liberação. “Foi uma longa espera, viagens, contatos e ligações para que, de fato, estivéssemos nesta lista. Já iniciamos contatos com importadores russos interessados em importar leite em pó”, adianta, complementando que o preço internacional de mercado está baixo, mas com indícios de melhora, sinalizando o fechamento dos primeiros negócios com o mercado russo.

O presidente Executivo da Dália Alimentos, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, comemora o parecer do Ministério da Agricultura russo e observa que a Dália é uma empresa tradicional na exportação de carne suína e que deverá consolidar-se também no seguimento lácteo. “A planta localizada em Palmas, em Arroio do Meio, é uma das mais modernas do Brasil, dispondo de alta tecnologia. Está totalmente apta para começar a produção também para este importante mercado, que é o da Rússia.”

Freitas reconhece o empenho de todos os que contribuíram para que a Dália estivesse na lista dos exportados e faz alusão ao Instituto Gaúcho do Leite (IGL), à Viva Lácteos, à Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), aos deputados federais Luis Carlos Heinze (PP) e Alceu Moreira (PMDB) e a todos que se empenharam de alguma forma.

O presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, afirma tratar-se de um momento importante e muito aguardado, uma vez que a cooperativa estruturou uma planta moderna e com alta tecnologia também para esta finalidade, que é a de exportar. “Trabalhamos em todos os segmentos da cadeia leiteira, desde a matéria-prima, no campo, até a indústria, para atender a todos os padrões e normativas. Além de já atendermos o mercado nacional com alta excelência, agora também vislumbramos abrir um importante nicho, que é o mercado internacional”, ressalta.

Hoje, as duas indústrias de lácteos da Dália Alimentos recebem cerca de 900 mil litros de leite por dia. Deste total, cerca de 60% tem como destino a indústria de Palmas e 40% a indústria de leite UHT no Bairro Aimoré, ambas no município de Arroio do Meio.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...