Languiru recebe delegações da China

A Cooperativa Languiru recebeu, no mês de dezembro, a visita de duas delegações chinesas. A primeira delas, no dia 2, foi composta por autoridades da província de Heilongjiang, liderada pelo vice-governador da região, Hao Huilong. O grupo, em missão governamental pelo Estado, buscou informações e avaliação de oportunidades de cooperação nas áreas da agroindústria, energia, educação e infraestrutura.

Na Languiru os chineses visitaram a Indústria de Laticínios, em Teutônia, oportunidade para conhecerem a tecnologia empregada no parque industrial e provarem alguns produtos lácteos, em especial o leite, o iogurte Fruitness e o achocolatado Chocolan.

O foco comercial dos chineses na visita à cooperativa foi o leite e pó, produzido pela Languiru em parceria com a Cooperativa Central Gaúcha de Leite (CCGL), na planta industrial instalada em Cruz Alta.

O grupo esteve acompanhado pelo assessor da Secretaria de Infraestrutura e Logística do Estado, David Chen; pelo assessor de Relações Internacionais do Estado, Espártaco da Rocha Dutra; assessores do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Milton Antônio Zagonel, Ângelo Guido Menegati e Sérgio Luís Feltraco. Entre os chineses, além do vice-governador executivo, também estiveram o diretor do Escritório de Relações Internacionais, Xu Guangming; secretário da Fazenda, Gao Dawei; secretária de Educação de Ensino Superior, Yin Xiaolan; secretário de Administração das Fazendas Estatais e de Agricultura, Zhou Haoxun; e diretora do Escritório de Relações Internacionais, Niu lihong.

A comitiva foi recebida pelo vice-presidente da Languiru, Renato Kreimeier, acompanhado de representantes da trading internacional Four Import Export, Marco Antônio Isse e Cristiano Conceição – empresa especializada em exportação e responsável pela negociação da Languiru com o mercado externo -, além de colaboradores da Indústria de Laticínios e dos Frigoríficos de Aves e Suínos da Languiru.

No mesmo dia, eles também estiveram com o governador do Estado, Tarso Genro. Naquela ocasião, o líder da delegação, Hao Huilong, destacou o interesse na aproximação com os gaúchos, principalmente na produção da soja, leite, petróleo e intercâmbio acadêmico. “Iniciamos uma relação com o Rio Grande do Sul quando da nossa vinda em 2010 para a Expointer, e já temos um processo de cooperação estabelecido com a UFRGS. Acreditamos que, neste momento de protagonismo das economias emergentes, Brasil e China devem estreitar ainda mais seus vínculos”, afirmou.

Heilongjiang

A Província de Heilongjiang está localizada no extremo nordeste do território chinês, abrange uma área de 473.000 km², na fronteira com a Rússia. A população está em torno de 39 milhões de habitantes. A província tem um perfil econômico semelhante ao do Rio Grande do Sul, é a maior produtora de grãos e carne da China. Um quarto de todo o comércio chinês com a Rússia é feito via Heilongjiang.

Vem mantendo índices de crescimento do PIB em torno de 11,5% nos últimos anos, atingindo a marca de US$ 200 bilhões. No setor industrial destaca-se a petroquímica e as máquinas agrícolas. A província é sede do campo de petróleo de Daqing, o maior campo de petróleo da China, e também de uma fábrica da Embraer na sua capital. São também responsáveis por 40% da produção de asfalto para pavimentação do país.

As fazendas de Heilongjiang têm o maior nível de mecanização de todas as províncias da China. O relevo de numerosas montanhas, rios e abundantes recursos minerais coloca a província com grande potencial de desenvolvimento na extração de madeira e minérios.

Entre os principais produtos exportados estão máquinas e eletrônicos, roupas, plástico, aço, sapatos e produtos agrícolas. Nas importações, se destacam o petróleo cru, fertilizantes, madeira, minério de ferro e pasta de papel. Além disso, a província tem um programa de incentivo à modernização da agricultura para indústrias nacionais e estrangeiras, existindo boas oportunidades no mercado de máquinas agrícolas.

Plataforma Sino-Brasileira de Facilitação do Comércio e Investimentos

No dia 3 de dezembro outra delegação chinesa visitou o Frigorífico de Aves da Cooperativa Languiru, no município de Westfália. A comitiva cumpriu agenda de visitas técnicas pelo interior do Rio Grande do Sul, na missão de implantação da Plataforma Sino-Brasileira de Facilitação do Comércio e Investimentos.

Conforme a coordenadora da Articulação Internacional da Secretaria do Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI) do Governo do Estado, Mariela Espíndola Longoni Klee, a missão chinesa busca o fortalecimento e ampliação das relações comerciais e dos investimentos do Brasil com a China, em especial as empresas e cooperativas gaúchas com a municipalidade de Shenzhen.

Recebidos pelo vice-presidente da Languiru, Renato Kreimeier, os chineses elogiaram a base produtiva da cooperativa, o acesso ao crédito e à educação, os benefícios oferecidos pela Languiru ao seu quadro social e a diversidade de negócios da cooperativa.

Na visita ao Frigorífico de Aves, mostraram-se bastante satisfeitos com a qualidade dos produtos e processos de fabricação.

A delegação chinesa contou com representantes da Casic Shenzhen e China Citic Bank (ambas estatais federais) e Shenzhen Agricultural Products (estatal da municipalidade de Shenzhen), acompanhados ainda do presidente do Badesul, Marcelo Lopes. “A China precisa de alimentos, e o Brasil é um grande produtor”, avaliou o gerente-geral da Casic Shenzhen International Business, Zhu Zhengguang.

Languiru é parceira da Plataforma Internacional

A proposta da Plataforma Sino-Brasileira de Facilitação do Comércio e Investimentos começou a ser construída a partir de Missão do Sistema de Desenvolvimento do RS à China, em dezembro de 2013. Em julho de 2014 o governador Tarso Genro assinou um Memorando de Entendimento, estabelecendo o consórcio que forma a parte brasileira do projeto, integrado pelas secretarias de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (SDPI), Fazenda (SEFAZ), Agricultura, Pecuária e Agronegócio (SEAPA) e, naquela oportunidade, quatro cooperativas gaúchas, entre elas a Cooperativa Languiru – hoje a iniciativa conta com a parceria de seis cooperativas gaúchas.

A ação tem por objetivo apoiar, por meio de medidas práticas – como identificação de produtos, certificação, exposição, agilidade e comunicação -, a incursão das empresas gaúchas no mercado chinês, especialmente na zona de livre comércio de Xangai.

O presidente da Languiru, Dirceu Bayer, se disse feliz com a oportunidade de acesso ao mercado chinês. “Percebemos o interesse do governo, que enxergou nosso potencial. Queremos agarrar essa oportunidade para o nosso produto. Estávamos tentando ingressar no mercado chinês há mais de dois anos.”

A principal motivação para parceria está na ampliação do comércio com a China, de forma a agregar valor aos produtos para exportação, possibilitar a exportação de pequenas e médias empresas e também o desenvolvimento de produtos específicos para o mercado chinês, além de atrair investimentos para o Rio Grande do Sul.

O presidente do Badesul, Marcelo Lopes, espera a consolidação da Plataforma ainda no primeiro trimestre de 2015, com a implantação de escritórios comerciais no Rio Grande do Sul e em Shenzhen. Para Lopes, um dos principais desafios será facilitar o acesso dos produtos brasileiros à China, já que o país costuma dificultar a habilitação de empresas ao seu mercado. A coordenadora da Articulação Internacional da SDPI, Mariela Klee, destacou que a demanda da China por alimentos representa um mercado promissor para o Rio Grande do Sul. “O consumidor chinês confia mais nos produtos estrangeiros do que nos locais. Além disso, marcas de fora significam status”, explica ela.

A vinda da delegação chinesa é um desdobramento destas ações e tem como finalidade avançar na discussão do modelo de negócios e das futuras operações.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...