Languiru inicia utilização experimental de biogás em Bom Retiro do Sul

No da 17 de abril a Cooperativa Languiru deu mais um passo importante na otimização de biodigestores nas unidades industriais e propriedades rurais. Foi neste dia que entrou em funcionamento o projeto piloto desenvolvido pela cooperativa teutoniense com a parceria de empresas e Governo da Alemanha, além do apoio da Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul (Ocergs).

A cooperativa finalizou a instalação dos equipamentos na Unidade Produtora de Leitões (UPL) Mundo Novo e, aproveitando os gases gerados pelos biodigestores, passa a utilizar o biogás na unidade de Bom Retiro do Sul. Até então era feita apenas a queima dos gases produzidos a partir dos dejetos suínos. “Com esses equipamentos, como boiler e purificador, passamos a utilizar o biogás no aquecimento da água dos chuveiros e na cozinha da unidade, substituindo gradativamente o gás de cozinha (GLP)”, explica o engenheiro ambiental da Languiru, Tiago Feldkircher.

A instalação da tubulação e dos equipamentos necessários para utilização do biogás foi coordenada pelo representante do Instituto de Pesquisa Agroscience, da Alemanha, Philipp Senner, órgão de pesquisa científica em diversas áreas, em especial para melhorias na agricultura e manejo animal; e pelo representante da Ökobit, empresa especializada na construção, instalação e operação de plantas de biogás, Sven Jakob.

Os alemães estiveram na Ocergs no dia 13 de abril, quando também visitaram o Consulado Alemão em Porto Alegre para apresentar o projeto, e de 14 a 17 de abril acompanharam os trabalhos na Cooperativa Languiru. “Instalados os equipamentos, iniciamos com o período de testes e ajustes das conexões. A partir deste projeto piloto, daremos andamento aos estudos, tendo o apoio da Univates, com aproveitamento de dejetos e resíduos de outras unidades produtivas e industriais da cooperativa”, destaca Feldkircher.

Os equipamentos instalados em Bom Retiro do Sul têm capacidade de gerar 20 KW, o que representa cerca de 5m³ de biogás por hora. “Num primeiro momento não desabilitamos o GLP, que segue como opção”, acrescenta o engenheiro ambiental da Languiru.

Workshop

O projeto de utilização do biogás na UPL Mundo Novo da Cooperativa Languiru será um dos cases apresentados em workshop sobre o tema no próximo dia 11 de junho. Aberto ao público em geral, o evento ocorre na cooperativa e ainda prevê visitação à unidade produtiva da Languiru em Bom Retiro do Sul, inclusive com a presença de representantes dos parceiros da Alemanha e da Ocergs no desenvolvimento do projeto.

Outros detalhes do workshop serão divulgados mais próximo ao dia do evento. A programação marca o fechamento do projeto de parceria entre Languiru, Ocergs, empresas e Governo da Alemanha, desenvolvido por 27 meses.

O projeto de biogás como energia alternativa na Languiru

Com aporte financeiro do governo alemão, o biogás é uma iniciativa que poderá originar a geração de energia elétrica alternativa e substratos orgânicos para a lavoura, contribuindo significativamente com a preservação do Meio Ambiente, com a redução de emissão de poluentes e aproveitamento eficaz dos resíduos sólidos da suinocultura, bovinocultura e avicultura.

As tratativas da parceria iniciaram em novembro de 2012, por ocasião de período de estágio de Feldkircher na Alemanha. A qualificação profissional foi possibilitada via parceria entre a Ocergs-Sescoop/RS com a Confederação Nacional das Cooperativas de Crédito da Alemanha (DGRV), que teve por objetivo a busca constante por melhorias e o fortalecimento das cooperativas gaúchas.

Na oportunidade, o representante da Languiru teve acesso a novas tecnologias ambientais, especialmente a geração de energia por meio de fontes renováveis, como o biogás. “Na Alemanha o biogás auxilia na geração de energia elétrica e calor para as residências. Inclusive o governo disponibiliza linhas de financiamento para a produção de energia via fontes alternativas. No país já há mais de cinco mil plantas de biogás”, destaca o engenheiro ambiental.

Depois disso, representantes das empresas parceiras alemãs visitaram a UPL Mundo Novo e elaboraram o projeto, que foi encaminhado ao Governo da Alemanha, o qual auxiliou com recursos financeiros e tecnologia para sua implementação.

Alemães elogiam estrutura da Languiru

Senner e Jakob elogiaram a estrutura da cooperativa e destacaram o potencial da Languiru para a geração de energia por fontes alternativas. Eles também enalteceram a receptividade que tiveram na cooperativa, onde “sentiram-se em casa”.

Ambos afirmaram que a Languiru possui grande potencial para aproveitamento dos dejetos suínos, principalmente. “Além do biogás, os dejetos podem ser agregados com resíduos sólidos das estações de tratamento nas unidades industriais, com a perspectiva de gerar energia e um importante substrato para adubação do solo. Com o aproveitamento deste material, é dado valor ao resíduo, diminuindo custos nas propriedades rurais dos associados da Languiru e nas próprias unidades industriais e de produção da cooperativa”, frisou Senner.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...