Languiru forma primeira turma do programa de sucessão familiar

Ética, honestidade, responsabilidade, solidariedade, respeito, tolerância, planejamento, organização e controle resumem o juramento prestado pelos 39 jovens que concluíram o curso de Formação Gerencial de Sucessores da Agricultura Familiar da Cooperativa Languiru, cuja formatura ocorreu na noite da última terça-feira, dia 22, na Associação dos Funcionários da Languiru. Trata-se de projeto inédito, desenvolvido pela cooperativa teutoniense com o propósito de profissionalizar jovens produtores rurais e encaminhá-los para a sucessão no comando das propriedades familiares.

Iniciado no dia 1º de novembro de 2013, entre os objetivos específicos do programa estiveram a formação profissional de jovens associados e filhos de associados; qualificação de novos empreendedores rurais para o atual contexto do agronegócio; auxiliar para a implantação de ferramentas informatizadas de gestão nas propriedades rurais, que permitem analisar a realidade econômico-financeira das atividades desenvolvidas; capacitação para utilização de ferramentas de gestão de custos de produção, gestão de patrimônio, desenvolvimento de projetos e planejamento financeiro; desenvolvimento de conhecimentos específicos na gestão de pessoas e do processo sucessório; e auxílio na promoção da sucessão nas propriedades rurais familiares.

A conclusão desta primeira etapa marca a história sexagenária da Languiru, que se moderniza e se renova no capital mais precioso, que são as pessoas. Nesse período de dois anos, o curso, dividido em módulos, destacou a produção agropecuária e as características de gestão, tecnologias de informações gerenciais, gestão patrimonial, de custos, de resultados, de projetos, financeira, de pessoas e da sucessão, associativismo, cooperativismo e alianças estratégicas, com encontros mensais, além de visitas técnicas às unidades industriais da Languiru e cooperativa coirmã do Paraná.

Atitude

Falando em nome dos colegas, os formandos Enéias Roberto Lagemann e Aline Inês Sulzbach enalteceram a iniciativa da Languiru e agradeceram pela oportunidade. “É preciso atitude para começar algo, atitude também para mudar. Foram muitas as trocas de ideias nesses dois anos, convivendo com as pessoas e conhecendo outras realidades. Aprender é sempre importante, independente da idade, principalmente para nós agricultores, que precisamos nos atualizar constantemente, atendendo exigências do mercado e de qualidade. Pertencemos a uma classe muito nobre, fornecendo alimentos, por isso a necessidade de nos aperfeiçoarmos, afinal, seremos o futuro das nossas propriedades”, destacaram em seu discurso.

Primeiro degrau

O diretor da empresa Macrovisão e professor da turma, Lucildo Ahlert, se disse muito contente. “Este é um momento muito especial para esses jovens e suas famílias, para a Languiru e para mim também. A escada é alta, mas este é o primeiro degrau. A conclusão do primeiro curso é a concretização de uma ideia trabalhada há muito tempo, um projeto que se tornou realidade”, frisou, citando como exemplo a sucessão na propriedade rural de sua família, no município de Westfália. “Espero que o curso faça diferença na vida de vocês, buscando sempre por novos conhecimentos, sempre com a vontade de progredir”, acrescentou.

Grandes produtores rurais

O vice-prefeito de Teutônia, Evandro Biondo, elogiou o trabalho desenvolvido pela Cooperativa Languiru. “Já participei de muitas formaturas, mas esta, pelo seu ineditismo, ganha um significado diferenciado. Um dos grandes segredos para o desenvolvimento dos municípios é o sistema cooperativo, aliado à qualificação da infraestrutura no campo, aos incentivos públicos e às parcerias. Todos são grandes produtores, talvez em pequenas propriedades”, disse, desejando que sigam aprimorando e buscando novos conhecimentos. “Jovens, continuem firmes nesta caminhada. E à Languiru, parabéns pelo trabalho que realiza, investindo no seu maior patrimônio, que são as pessoas.”

Colocando em prática

O gerente do setor de formação profissional da Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul e do Sistema Sescoop/RS, Hélio Loureiro de Oliveira, parabenizou à Languiru pela iniciativa. “Sabemos da preocupação da Cooperativa Languiru com a formação dos jovens e a sucessão nas propriedades rurais. Ela conseguiu transformar em ação aquilo que muitas vezes fica apenas no discurso, que é a preocupação com a manutenção das atividades nas propriedades rurais, que são a base das cooperativas agropecuárias”, elogiou. Para Oliveira, a formação, “que utiliza os benefícios do uso das tecnologias e orienta os jovens para o uso de ferramentas de gestão, facilita muito a vida dos produtores rurais”, estendendo os elogios aos formandos e suas famílias. “Parabéns pelo esforço de cada um, pois aprender é um exercício difícil, que exige muita dedicação.”

Redução da idade média do quadro social da Languiru

O vice-presidente da Languiru, Renato Kreimeier, falou da redução da idade média do quadro social da Languiru, que em 2004 era de 57 anos de idade e em 2015 reduziu para 48 anos. “Os associados acreditam na sua cooperativa e praticamente 75% da produção nos setores de aves, suínos e leite vem de produtores com menos de 50 anos de idade.”

Quanto à formatura da primeira turma do curso de sucessão familiar, refirmou que se trata de um momento que entra para a história da cooperativa. “No ano em que completamos 60 anos de atividades, comemoramos a superação de R$ 1 bilhão em faturamento bruto e a formatura da primeira turma de associados no curso de Formação Gerencial de Sucessores da Agricultura Familiar”, avaliou.

Por fim, falou de profissionalismo. “Planejamento e gestão são essenciais. Se hoje a Languiru é referência no cooperativismo, isso se deve à seriedade e à transparência nas suas ações. A questão da gestão e da sucessão nas propriedades, com a formação de novas lideranças, era uma lacuna no planejamento da Languiru. Foi a partir disso que surgiu este curso. Esses jovens são nossas novas lideranças”, concluiu.

Família

O presidente da Languiru, Dirceu Bayer, destacou a união de esforços, a ajuda mútua, a transparência e a humildade, posturas que norteiam o trabalho da cooperativa. “Demos o passo inicial para a formação de novas lideranças de uma forma muito acertada. Temos muito a agradecer a toda ‘Família Languiru’.”

Ele parabenizou os formandos pela conquista. “Parabéns pela coragem e determinação de todos vocês na busca pela qualificação. Com certeza todos concluem esta etapa como pessoas melhores, renovadas. Para nos mantermos fortes neste mercado competitivo, todos precisamos nos moldar de forma profissional à atual realidade”, disse, referindo-se ainda ao crescimento da Languiru, em especial desde o ano 2002.

Bayer também exaltou o envolvimento dos familiares dos formandos nas atividades. “Com a participação das famílias, pudemos observar a gestão aplicada na prática das propriedades rurais. Precisamos ser profissionais em todos os momentos e este trabalho com os jovens contribui significativamente para a imagem da nossa Cooperativa Languiru.”

Novas turmas

Em seu discurso, Bayer ainda anunciou a continuidade do projeto, com nova etapa de estudos para os formandos da primeira turma do curso de Formação Gerencial de Sucessores da Agricultura Familiar da Cooperativa Languiru, o que classificou como uma espécie de “pós-graduação”, além da abertura de inscrições para a segunda turma do primeiro nível de estudos.

O presidente classificou a continuidade do projeto como “um novo desafio” e ainda confirmou viagem técnica desta primeira turma à Argentina, para visitação à cooperativa SanCor, referência em cooperativismo no país vizinho.

“Além da formação gerencial, queremos estimular o espírito de liderança desses jovens associados. Precisamos desenvolver ações para a sustentabilidade das propriedades rurais e da nossa cooperativa. Isso que ocorre com a formatura não para por aqui, simplesmente levando um certificado para ser emoldurado e pendurado na parede de casa. Esse grupo terá a oportunidade de dar continuidade aos estudos”, encerrou, convidando para que os jovens se envolvam cada vez mais com as atividades da Languiru, como por exemplo nas assembleias e eventos da cooperativa. “Precisamos desse envolvimento de todos os associados.”

As inscrições para a segunda turma do curso de Formação Gerencial de Sucessores da Agricultura Familiar da Languiru estão abertas e podem ser efetuadas gratuitamente junto ao Departamento Técnico da cooperativa, no Bairro Languiru, em Teutônia.

Os pioneiros

Integraram e concluíram o primeiro curso de Formação Gerencial de Sucessores da Agricultura Familiar da Cooperativa Languiru os estudantes Adail Leonhardt, Alexandre Landmeier, Aline Inês Sulzbach, André Landmeier, Atílio Fensterseifer, Bruna Planthold, César Augusto Vortmann, Cleiton Ahlert, Diego Augusto Dickel, Diego Rodrigo Führ, Douglas Jacó Sulzbach, Ederson Alexandre Bauer, Eduardo Brune, Eduardo Henrique Rambo, Eliana Beatriz Lenhard de Oliveira, Enéias Roberto Lagemann, Felipe André Dick, Janaína Fell, Jéssica Luísa Kaplan, José Cristiano Mattes, Letícia Fröder, Lucas Frederico Ahlert, Maciel Görgen, Maikel Altmann, Marco Ricardo Aschebrock, Mateus Carniel, Merice Brummelhaus Strate, Paulo Roberto Birck, Rafael Fernando Collett, Rafael Horst, Roberto Echer, Rodrigo Landmeier, Sabine Cristine Cord Pedrussi, Samuel da Costa, Samuel José Wermann, Sidnei Kaisekamp, Tatiane Cristina Lenhard Wenneker, Tiago Lerner e Valdir Antenor Bayer.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...