Languiru cresce no índice das 500 maiores empresas do Sul do Brasil

A Cooperativa Languiru vive um novo momento histórico, de crescimento, de retorno dos investimentos realizados, de credibilidade e de consolidação do seu modelo de gestão e administração. Mais uma vez a empresa teutoniense figura no ranking das 500 Maiores do Sul, divulgado em primeira mão pela Revista Amanhã e PwC em evento para a imprensa na manhã da  última quarta-feira, dia 11, em Porto Alegre. Na oportunidade a Languiru esteve representada pelos jornalistas do Departamento de Comunicação, Leandro Augusto Hamester e Valdir Inácio Schardong.

A Languiru passou a ocupar a posição de número 158 entre as empresas de maior destaque da Região Sul do Brasil (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná), melhorando oito posições com relação à divulgação anterior (166). Entre as 100 maiores do Rio Grande do Sul, a cooperativa está em 59º lugar (era 65º), e considerando as cooperativas de produção gaúchas, a Languiru se consolida na 3ª colocação. A empresa também figura no ranking das 50 maiores receitas brutas, ocupando a 50ª posição, com R$ 639,22 milhões em 2012 (em 2011 registrou receita bruta de R$ 581,74 milhões), com variação de 9,88%.

Comemoração da ‘Família Languiru’

Para o presidente Dirceu Bayer, o desempenho positivo e a evolução da Languiru no ranking reflete o momento de consolidação da cooperativa. “Queremos compartilhar este crescimento com toda ‘Família Languiru’, representada por seus produtores, seus 5,3 mil associados e 2,3 mil colaboradores. O desempenho justifica os investimentos realizados nos últimos anos para que pudéssemos nos manter competitivos diante das outras empresas do segmento.” Para ele, os índices de produtividade dos associados influem diretamente nesse desempenho. “Esse crescimento também demonstra o potencial da nossa pequena propriedade, respondendo com excelentes índices de produtividade, que nos coloca numa posição diferenciada em relação a outras regiões do país. Mesmo no minifúndio, conseguimos ostentar a 3ª posição entre as maiores cooperativas de produção do Estado.”

Bayer comemora o acerto no planejamento da cooperativa. “Todos os projetos que estamos instituindo na Languiru estão dando certo e tudo isso é minuciosamente estudado antes da sua execução.”

Trilhando o caminho do sucesso

O presidente Bayer ainda se disse bastante otimista para o ranking 500 Maiores do Sul a ser divulgado em 2014, que tomará por base o balanço apresentado ao final do exercício de 2013. “O crescimento da Languiru para o atual exercício será acima do registrado e apresentado pelo ranking divulgado neste ano. Inclusive, para o final de 2014 estamos prevendo faturamento de R$ 1 bilhão.”

Ele toma por base o atual cenário do agronegócio e o desempenho da Languiru em 2013. “O lucro, que nas cooperativas é tratado como resultado, deverá superar o apresentado no exercício de 2012, assim como também devemos registrar crescimento no patrimônio líquido. Por isso estimo que podemos crescer no ranking das maiores cooperativas de produção do Rio Grande do Sul a ser divulgado no próximo ano.”

A importância do cooperativismo

O diretor de redação da Revista Amanhã, Eugênio Esber, que conduziu o evento com a imprensa na apresentação do ranking, enalteceu a importância do cooperativismo para a economia brasileira, em especial da Região Sul. “Assim como o cooperativismo, o agronegócio é muito importante no desempenho econômico regional. O Rio Grande do Sul e o Paraná fazem frente no cooperativismo e possuem uma forte base cooperativa. Diria que o Rio Grande do Sul, conhecido como o berço do cooperativismo, conta com uma ‘tropa de elite’ neste setor.”

Numa avaliação do desempenho das cooperativas que figuraram no ranking, Esber enalteceu os investimentos em tecnologia e o que classificou como “choque de gestão”. “As cooperativas cresceram e buscaram a profissionalização, trabalham a governança, a qualidade da gestão e de seus conselhos. Com isso as cooperativas têm presença expressiva no mercado, com parques industriais modernos e tecnologia de ponta, investimentos em novas praças e canais comerciais, ampliando seu leque de produtos e serviços.”

O ranking

Conforme a Revista Amanhã e a PwC, as 500 maiores companhias da Região Sul obtiveram, juntas, uma receita bruta de R$ 509,3 bilhões, representando crescimento de 13,1% em 2012 (no ano anterior o crescimento foi de 13,8%). No mesmo período, a soma dos patrimônios líquidos atingiu R$ 245,4 bilhões, alta de 10,6% com relação ao ano de 2011. Com relação aos lucros, o crescimento foi de 8,8%, alcançando R$ 30,7 bilhões.

Numa análise dos números, o Paraná aparece como o grande destaque da edição 2013 do ranking 500 Maiores do Sul, com as grandes empresas paranaenses liderando nos três quesitos que formam o Valor Ponderado de Grandeza (VPG), principal indicador do ranking: patrimônio líquido (que representa 50% da soma), receita bruta (40%) e lucro ou prejuízo do exercício (10%). Na soma dos VPGs, as empresas paranaenses totalizam R$ 128,8 bilhões, as gaúchas R$ 112 bilhões e as catarinenses R$ 88,4 bilhões.

No entanto, o Rio Grande do Sul ainda aparece com o maior número de empresas na lista (201), seguido do Paraná (175) e de Santa Catarina (124).

Onde estão as maiores

Na revista também são apresentadas as cidades que concentram as maiores do Sul. Considerando Rio Grande do Sul e Paraná, a maior concentração está nas capitais Porto Alegre (81) e Curitiba (79). Já em Santa Catarina, Joinville lidera, com 18 empresas premiadas, contra 17 da capital Florianópolis.

As dez primeiras na Região Sul

Consolidadas como maiores empresas da Região Sul, a gaúcha Grupo Gerdau permanece em 1º lugar, seguido pela catarinense BRF Brasil Foods. Também de Santa Catarina, a Bunge Alimentos passou do 5º lugar no ranking divulgado em 2012 para o 3º lugar na edição 2013. Na sequência aparecem quatro empresas paranaenses: Vivo S/A em 4º, HSBC Bank Brasil S/A em 5º, Copel e Controladas em 6º e Renault do Brasil em 7º. A 8ª colocada é a catarinense Tractebel Energia e Controladas e somente em 9º lugar aparece mais uma empresa gaúcha, o Banrisul. A 10ª posição é ocupada pelo Grupo Weg, de Santa Catarina.

As líderes no Rio Grande do Sul

As dez maiores do Rio Grande do Sul possuem na liderança o Grupo Gerdau, com o Banrisul em 2º lugar. Na 3ª posição outra instituição financeira, o Sicredi. A Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) é a 4ª, seguida pelas Lojas Renner S/A em 5º. Na sequência, duas empresas do ramo automotivo, Grupo Randon em 6º e Marcopolo e Controladas em 7º. O setor de energia volta ao ranking na 8ª posição com a Rio Grande Energia S/A (RGE). Fechando a lista das dez maiores gaúchas, Grupo SLC em 9º e Grendene S/A em 10º.

Intercooperação

A Coopercentral Aurora, de Chapecó/SC, cooperativa coirmã com a qual a Languiru firmou parceria na produção de produtos suínos produzidos no frigorífico instalado em Poço das Antas, figura na 7ª colocação entre as dez maiores de Santa Catarina. No ranking das 500 maiores da Região Sul, a Aurora está na 25ª posição. A Aurora também é reconhecida como a 2ª colocada entre as cooperativas de produção no quesito maior receita bruta (valor total obtido pela empresa com as vendas de produtos ou serviços), com R$ 4,6 milhões.

A coirmã catarinense ainda integra o ranking das 50 maiores em patrimônios líquidos do seu Estado, em 14º lugar (R$ 836,38 milhões) e é a 6ª em Santa Catarina entre as 50 maiores receitas brutas (R$ 4,6 milhões). Na tabela de lucro líquido, a Aurora é a 5ª colocada (R$ 180,91 milhões).

Em se tratando das cooperativas de produção, a líder setorial para a Região Sul em receita bruta é a Coamo – Agroindustrial Cooperativa, do Paraná, com a Cooperativa Agropecuária de Jacinto Machado, de Santa Catarina, como a mais rentável.

Considerando a representatividade dos diferentes setores, no quesito receita bruta, as cooperativas de produção da Região Sul estão na 5ª posição, com R$ 36,3 milhões em receita bruta no somatório de 24 cooperativas destacadas no ranking das 500 maiores. O 1º lugar está ocupado pelas empresas do setor de alimentos e bebidas, com 41 representantes que totalizam R$ 93,3 milhões de receita bruta.

Sobre 500 Maiores do Sul

500 Maiores do Sul é realizado pela Revista Amanhã e PwC (empresa de auditoria, assessoria tributária e empresarial) há 23 anos. Revela indicadores de mil empresas, das quais as 500 maiores e as 500 emergentes do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná. O ranking é construído levando em consideração os balanços oficiais publicados pelas companhias.

Premiação

As solenidades de premiação das empresas que integram o ranking 500 Maiores do Sul serão realizadas em três momentos distintos, ainda no mês de setembro e em outubro. Serão homenageadas as 100 maiores empresas de cada Estado, os destaques setoriais e as líderes por indicadores.

Curitiba será sede da premiação das paranaenses no dia 23 de setembro. No dia 1º de outubro as catarinenses serão laureadas em Joinville. Os destaques gaúchos recebem homenagens no dia 08 de outubro, a partir das 19h na Fiergs, em Porto Alegre.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...