Languiru credenciada a utilizar selo da agricultura familiar

A Cooperativa Languiru está habilitada a utilizar o Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF) em produtos nos segmentos de laticínios, aves e suínos. A credencial é fornecida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e foi publicada no Diário Oficial da União no final do mês de agosto, tendo validade de cinco anos.

O SIPAF é uma importante conquista da agricultura familiar, sinal identificador de produtos, que tem por objetivo fortalecer a identidade social da agricultura familiar junto aos consumidores, informando e divulgando sua significativa presença na produção de alimentos, bebidas e artesanato. “O selo busca identificar os produtos que tenham em sua composição a participação majoritária da agricultura familiar, dando visibilidade às empresas e aos empreendimentos que promovem a inclusão econômica e social dos agricultores, gerando mais emprego e renda no campo. E nisso se enquadra a Cooperativa Languiru, reconhecida pelo seu trabalho em prol da sustentabilidade econômica, social e ambiental nas comunidades onde está inserida”, destacou o delegado federal do MDA no Rio Grande do Sul, Marcos C. Regelin, em visita à direção da Languiru na manhã de 17 de outubro para anunciar e entregar certificado de habilitação da cooperativa para utilização do selo.

Ele esteve acompanhado da consultora da Secretaria da Agricultura Familiar e do MDA, Mônica Batista de Souza, que explicou os trâmites para que a Languiru obtivesse a permissão de uso do selo em seus produtos. “É uma grande honra conhecer esta cooperativa. Acompanhando os documentos que foram enviados para esta habilitação, não tinha ideia do que a Languiru representa para seus associados, para os produtores da agricultura familiar. A utilização do selo por parte de uma cooperativa nos dá a certeza de que os agricultores não ficarão pelo caminho, considerando seu histórico de relevantes serviços prestados à sociedade”, revelou Mônica.

Qualidade Languiru

O Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar vem reforçar o trabalho desenvolvido pela Cooperativa Languiru ao longo de 59 anos de atividades, primando por produtos de qualidade e contribuindo para a qualidade de vida e permanência das famílias no meio rural. Esta identificação soma-se a outros parâmetros e certificações, que atestam a qualidade da cadeia produtiva, desde a matéria prima até o processo de industrialização e comercialização dos produtos Languiru. Entre esses ainda está o Selo Carbono Neutro, que reflete a preocupação ambiental da cooperativa e leva essa reflexão aos consumidores nas embalagens dos produtos da Indústria de Laticínios.

“Este selo de identificação da agricultura familiar, além de atestar o trabalho de cunho social desenvolvido pela Languiru, permite que a cooperativa prospecte novos mercados, apresentando-se como diferencial mercadológico nas negociações de políticas públicas”, destaca o coordenador administrativo da Central de Vendas da Languiru, Felipe Mallmann.

Presidente e vice-presidente da Languiru, Dirceu Bayer e Renato Kreimeier, respectivamente, também receberam os representantes do MDA e agradeceram pela concessão de uso do selo. “Certamente esta identificação fortalece a marca Languiru e a agricultura familiar da nossa região. Isso tem um significado muito especial para a ‘Família Languiru’, o que nos motiva a dar continuidade aos projetos em andamento e planejados para os próximos anos”, destacaram.

Por ocasião da visita, a consultora do MDA ainda conheceu as instalações e o processo de produção na Indústria de Laticínios e nos Frigoríficos de Suínos e Aves da Cooperativa Languiru. Ainda participaram da recepção aos representantes do Ministério, o diretor administrativo Décio Leonhardt e a auxiliar administrativa da Central de Vendas Simone Haas Unnewehr.

O SIPAF

A agricultura familiar é responsável pela produção da maioria dos alimentos consumidos diariamente pela população brasileira. Aproximadamente 59% dos suínos, 58% do leite, 50% das aves e 47% do milho, entre outros produtos que integram uma diversificada cadeia produtiva, têm origem na agricultura familiar.

Entre os benefícios da utilização do Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar, destaque para o estímulo à expansão do comércio de produtos oriundos da agricultura familiar, nos quais estão implícitos valores como sustentabilidade, responsabilidade social e ambiental, valorização cultural e desenvolvimento local, garantindo o direito do consumidor de saber a origem do produto que consome.

O Ministério do Desenvolvimento Agrário concedeu 987 permissões de uso do SIPAF no Brasil, para 9,7 mil produtos, com a habilitação de 324 organizações cooperativas, beneficiando cerca de 113 mil agricultores familiares. O modelo brasileiro tem servido de exemplo para outros países do Mercosul que buscam esta identificação de produtos de origem na agricultura familiar.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...