Jovens e filhos de associados visitam frigoríficos da Languiru

No do final do mês de julho ocorreu mais um encontro do Programa de Sucessão Familiar da Cooperativa Languiru. Divididos em dois grupos, os jovens associados e filhos de associados visitaram o Frigorífico de Aves, em Westfália, e o Frigorífico de Suínos, em Poço das Antas.

Na oportunidade eles conheceram o processo de abate e industrialização, acompanhados por profissionais das unidades industriais. Para a grande maioria, esta foi a primeira oportunidade de visita aos frigoríficos.

Na sequência o grupo foi recebido na Associação dos Funcionários da Languiru, onde ocorreram palestras do presidente da cooperativa, Dirceu Bayer, e do vice-presidente, Renato Kreimeier.

Preparação para o futuro 

Bayer realizou breve apresentação institucional da Languiru e de alguns números. “Desde o ano de 2005, somamos cerca de R$ 200 milhões em investimentos e hoje contamos com indústrias modernas, que nos permitem competitividade de mercado, com a garantia de qualidade dos produtos Languiru. Todo esse trabalho contribui para a imagem de credibilidade da cooperativa e nos posiciona como a terceira maior cooperativa do agronegócio gaúcho. É o reconhecimento das escolhas acertadas, no programa de reestruturação da Languiru iniciado no ano de 2002”, frisou.

O presidente enalteceu a participação dos jovens no Programa de Sucessão Familiar. “Chegar ao patamar em que a Languiru se encontra hoje é difícil, mas permanecer é ainda mais complicado. Por isso esse trabalho focado na sucessão, preparando as pessoas para auxiliar na administração das propriedades rurais e da cooperativa, formando novas lideranças. Aproveitem esta oportunidade, valorizamos muito o programa e queremos contribuir com a formação pessoal e profissional dos jovens”, concluiu.

Papel social do cooperativismo

O vice-presidente Renato Kreimeier reafirmou a importância social do cooperativismo, contribuindo para o desenvolvimento econômico-social das comunidades onde está presente. “A Languiru envolve direta e indiretamente mais de 30 mil pessoas. Hoje, 23% do PIB do Brasil vem do agronegócio, e 11% especificamente das cooperativas do setor. A diversidade de negócios garante a estabilidade e sustentabilidade da Languiru”, disse.

Para ele, o cooperativismo é um sistema econômico que pratica o pagamento de preços mais justos e estáveis. “Isso contribui para a permanência dos jovens na propriedade, o que fica evidente na redução da idade média do quadro social da Languiru, que em 2013 chegou a 48,69 anos”, defendeu Kreimeier.

“A Languiru valoriza seus associados, os donos da cooperativa. Esse é o segredo do sucesso. O cooperativismo é a força que move uma região. Além de desenvolver a comunidade, estimula o crescimento da economia, cria oportunidades de emprego e negócios, investe no local e incentiva o empreendedorismo. A melhora da qualidade de vida dos beneficiados é imediata. Nesse contexto, o jovem enxerga perspectivas e fica na propriedade rural”, encerrou Kreimeier, elogiando os que participam do Programa de Sucessão Familiar da Languiru. “Parabéns pela visão empreendedora. Isso nos permite ser diferente, com uma cooperativa forte e sólida. A Languiru precisa de vocês.”

Sistema de custos na pequena propriedade

No encontro anterior do Programa de Sucessão Familiar – o sétimo da formação iniciada em 2013 -, realizado também no mês de julho na Associação dos Funcionários da Languiru, foi destacado o sistema de custos na pequena propriedade.

Com orientação do gestor de empreendimentos rurais e em pesquisa, Lucildo Ahlert, foi discutida a visão do produtor sobre o que é custo e o que é investimento. “Os custos operacionais foram desenvolvidos em 1976 e são específicos para atividades agropecuárias. Por meio desta metodologia o custo é formado pelas despesas efetivamente desembolsadas pelo produtor, mais a depreciação de máquinas e benfeitorias e o custo estimado da mão de obra familiar”, sintetizou.

Conforme o instrutor, os custos são divididos em Custo Operacional Efetivo (COE), Custo Operacional Total (COT) e Custo Total (CT). Da mesma forma, ensinou possibilidades de ajustes dos custos operacionais. “Quando falamos em custos, não estamos falando de cortar investimentos na propriedade, mas sim, ter um controle por meio de indicadores técnicos”, refletiu.

Ahlert ainda teceu comentários sobre o uso da mão de obra nos investimentos e ensinou como calcular e dividir a renda familiar de acordo com a produção. Para finalizar, os jovens foram separados em grupos, nos quais debateram sistemas de custos de propriedades fictícias.

O Programa de Sucessão Familiar da Languiru terá novo encontro no dia 21 de agosto, às 9h30min, na Associação dos Funcionários da Languiru. Na oportunidade será destacada “Análise da realidade de propriedades agropecuárias”.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...