Inovar requer gestão

A inovação não pode ser vista como algo aleatório, mas sim, como algo que pode ser alcançado com gestão. Com essa premissa, o palestrante Felipe Ost Scherer participou na última reunião-almoço promovida pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviço de Estrela (Cacis) nesta sexta-feira, 25 de novembro, falando sobre estratégias para incentivo à inovação. Felipe é mestre em administração, consultor empresarial, professor de graduação e de MBA na área de administração.
Para o consultor, existe uma grande diferença entre a inovação espontânea e a estruturada. Tratá-la com gestão é o que faz a diferença nos negócios de alto impacto. Para isso, ensina Scherer, é importante inovar de forma sistemática e existem métodos eficientes que ajudam nesse direcionamento.
Ele separou recomendações mais objetivas e práticas para colocar em ação todo esforço de inovação. Scherer afirma ser importante, em primeiro lugar, definir uma estratégia de inovação que vai dar o direcionamento do esforço. O foco induz à busca pelo melhor caminho, sem dispersões. E quando há mais gente trabalhando num projeto, é mais fácil romper paradigmas, por isso, conectar-se com startups e não tentar fazer tudo sozinho, torna-se mais eficiente. Essas startups podem assumir competências do processo que não são expertise do inovador.
Felipe lembra que ter empatia na busca por insigths vem antes de se gerar a ideia. “Um bom projeto é aquele que resolve um problema ou potencializa um benefício”, define.
O consultor também sugere o uso de ferramentas e métodos que já existem e que já tenham mapeado todas as variáveis. Isso, segundo ele, ajuda a tornar um projeto mais assertivo. A confiança criativa e o estímulo à diversidade e ao trabalho em equipe, são indispensáveis no processo. Por fim, a última, mas não menos importante recomendação do consultor, é instigar a disciplina da execução, pois de nada adianta uma ideia inovadora que não passa de um projeto desenhado. “Como os projetos de inovação nem sempre são urgentes, podemos cair na armadilha de deixar esse passo negligenciado. Esse é um dos maiores erros. A disciplina imposta na execução faz parte da gestão da inovação”, avalia.

Fonte MEIRE BROD - DOBRO COMUNICAÇÃO

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...