Indústria lidera recuperação na economia

O setor industrial no município começa a apresentar sinais de recuperação econômica após período de retração em 2014. A abertura de novas empresas e a retomada de patamares produtivos em indústrias já instaladas resultam em aumento nas ofertas de trabalho e emprego.

Um dos novos empreendimentos da cidade é a metalúrgica comandada pelo diretor industrial Fabiano Porto, 36, e o diretor de vendas Jhonathan Vogel Neves, 29. Inaugurada no início de dezembro, a fábrica especializada em implementos agrícolas para a cadeia leiteira abriu cerca de 40 novos postos de trabalho.

Os dois empresários afirmam que as tratativas para abertura do negócio iniciaram na metade do ano passado. Após 18 anos de atuação no setor, Porto conversou com Neves, que trabalhava com vendas de implementos há oito anos e propôs a criação de uma sociedade.

Naturais de Bom Retiro do Sul, decidiram instalar a indústria na cidade por conhecerem o município e terem boa relação com a Administração Municipal. “Tivemos apoio do prefeito, que facilitou a instalação da empresa e nos ajudou nas negociações para o aluguel do prédio”, ressalta Porto.

Em menos de dois meses de funcionamento, a empresa comercializa produtos para cinco estados do país, mesmo com a retração no setor leiteiro gaúcho. “As vendas para o Estado reduziram, mas chegamos ao mercado de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas Gerais.”

Segundo os diretores, as perspectivas para 2015 são de crescimento, impulsionado pelo investimento em inovação e desenvolvimento de novos produtos. “Também nos surpreendemos com a qualidade da mão de obra da cidade”, destaca Porto. Mesmo com pouco tempo de funcionamento, já projetam ampliar a unidade.

Para o soldador Geison Marcelo Von Müchen, 27, a abertura da fábrica trouxe a oportunidade de trabalhar no município em que vive. Com oito anos de experiência na área, tinha que se deslocar a outras cidades do Vale para exercer a função. “Isso é positivo para o município, pois são trabalhadores que movimentam o comércio e os serviços da cidade.”

O prefeito Pedro Wermann ressalta a instalação de outra fábrica, do setor de injetados, no fim do ano passado, com a geração de mais de 45 empregos diretos. Segundo ele, para este ano a vinda de três novas industrias está em negociação. “São empresas de grande faturamento que abrirão novos postos de trabalho na cidade.”

Conforme Wermann, os novos empreendimentos aliados à recuperação produtiva das indústrias existentes refletem no crescimento de todos os setores da economia municipal. “Há menos de três meses a situação era preocupante.”

A recuperação é confirmada pelo presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropastoril (Acib), Dirceu de Oliveira. Ele afirma que o setor empresarial ficou retraído em 2014, mas deu sinais de recuperação a partir do fim do ano. “Nunca tivemos tanta oportunidade de emprego.” Segundo a Acib, a previsão é de maiores avanços a partir de março.

Programa Balcão de Empregos

Buscando agilizar a contratação de funcionários nas empresas locais, o município desenvolve o Programa Balcão de Empregos. De acordo com o coordenador Roni Fernandes, o programa cadastra e divulga as ofertas de emprego ao mesmo tempo em que recebe e encaminha currículos.
As vagas de trabalho também são divulgadas no programa da prefeitura na Rádio Comunitária da cidade. “Queremos garantir a manutenção de trabalhadores e das empresas em nossa cidade.”

De acordo com o prefeito, apesar de não ter recursos para grandes investimentos, o município está aberto ao diálogo com empresários que tiverem interesse em se instalar na cidade.

“Estamos dispostos a firmar parcerias de acordo com a necessidade dos investidores.” Para Wermann, a localização e a mão de obra existentes facilitam a captação de novos empreendimentos.

Recuperação nas indústrias

O prefeito Pedro Wermann ressalta o período de dificuldade enfrentado em 2014. Segundo ele, a principal indústria da cidade ameaçou fechar as portas após um período de redução na produtividade. “Nos últimos 30 dias houve uma reversão positiva com ampliação na produção e abertura de novas vagas de emprego.”

No segundo semestre do ano passado a fábrica da JBS/Friboi demitiu mais de 70 funcionários e passou a repensar o empreendimento em Bom Retiro do Sul. Responsável por empregar 270 pessoas e gerar cerca de R$ 280 mil por ano em tributos ao município, a empresa sofria com a instabilidade do mercado e as quedas nos negócios.

Para evitar o fim das atividades, o prefeito foi até São Paulo acompanhado de vereadores para conversar com os diretores da empresa. Na época, o município ofereceu o retorno de 50% do ICMS gerado pela indústria nos próximos anos.

Em dezembro, a produção, que havia caído para cerca de 800 toneladas ao mês, voltou a patamares anteriores, de 1,8 mil toneladas mensais. Para janeiro, a previsão é de produzir 2,2 mil toneladas de embutidos.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...