Incentivos mantêm jovens na lavoura

A sucessão familiar é o calcanhar de Aquiles da maioria das propriedades da região. Para tentar reverter esta realidade, são criadas políticas públicas, parcerias com cooperativas e instituições de ensino que levam conhecimento, orientação técnica, linhas de crédito para melhorar a infraestrutura, a produtividade e o lucro.

Em Travesseiro, programas de incentivo transformam jovens em empreendedores e possibilitam que continuem na lavoura. Um exemplo é Samuel Fucks, 25, de Três Saltos Alto. Ele ajuda os pais na criação de 1,6 mil suínos, cultivo de fumo e produção de leite, 140 litros diários.

Integrante do Conselho da Agricultura, busca conhecimento e investe em novas tecnologias para reduzir o trabalho braçal e elevar os lucros. Com a propriedade certificada, livre de brucelose e tuberculose, ganha uma bonificação de R$ 0,02 por litro vendido. “Em um ano isso rende R$ 1.022. Preservamos nossa saúde e a do consumidor.”

Apesar de a maioria dos amigos ter migrado para a cidade, Samuel não se arrepende da escolha que fez. “A qualidade de vida é melhor e aqui sou dono do negócio.” Ele negocia a compra de uma área de cinco hectares para ampliar a capacidade produtiva. Um trator e equipamentos também foram comprados para agilizar os trabalhos.

Luís Fernando Fucks, 20, de Linha Cairu, trabalha em parceria com os pais na criação de aves de corte e gado leiteiro. Orgulhoso, destaca a conclusão de um novo aviário recentemente. Todo automatizado, é responsável pela gerencia da atividade. O investimento foi de R$ 280 mil, com prazo de dez anos para quitar o financiamento. Com os bons rendimentos obtidos com os primeiros lotes vendidos, estuda a viabilidade de construir outra estrutura em breve.

Cooperativado, destaca a oferta de crédito, garantia de compra e orientação técnica como fatores importantes para investir e modernizar a infraestrutura da propriedade.

Projetos de incentivo

A Secretaria de Agricultura desenvolve projetos para incrementar a produção primária. Os produtores que ampliarem ou construírem aviários, chiqueiros ou galpões para produção de leite recebem até R$ 48,20 por metro quadrado de área construída.

Pelo Programa Cheque Adubo, serão beneficiados 505 com liberação de R$ 128,7 mil. Pelo programa de sanidade, o município custeia R$ 10,25. O custo por animal é de R$ 15,07. Os testes de tuberculose e brucelose serão realizados em 409 propriedades. No projeto de auxílio à inseminação artificial, a empresa recebe R$ 1,20 por quilômetro rodado e R$ 6,30 por material. No programa dos médicos-veterinários, é pago R$ 62 por atendimento.

Além disso, o produtor recebe auxílio na análise de solo, transporte de calcário, esterco, pagamento de sementes de milho, abertura de açudes, estradas, destocamento, cobertura de silos, entre outros. No primeiro semestre, o Executivo aplicou R$ 873.962 no setor.

Fique por dentro

Travesseiro tem 794 talões ativos, em 512 propriedades. A população rural é de 1.427 pessoas. São 3,2 mil hectares destinados à agricultura, segundo dados do IBGE de 2012. O setor representa 59,93% da economia.

Existem 82 chiqueiros, 40,6 mil suínos creche por lote, 16,4 mil terminação e 2.465 matrizes; 46 aviários, 723.900 aves/lote para produção de ovos. No total, são 4.986 bovinos, 2.371 vacas, 1.737 novilhas e 878 machos. No ano passado, foram vendidos 9.216.712 litros de leite e 369 bovinos para abate. No município 94 produtores têm 123 açudes, que produzem 14,15 toneladas de pescado por ano.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...