IGL traz congresso internacional do leite ao estado

O Instituto Gaúcho do Leite (IGL) ficará a cargo da coordenação do XIII Congresso Internacional do Leite, evento que é promovido anualmente em diferentes estado brasileiros, reunindo, em média, acima de mil pessoas. O encontro será realizado no Rio Grande do Sul, de 18 a 21 de novembro, e terá amplo programa, a ser definido, com palestrantes procedentes de diversos países, direcionado para produtores, técnicos, professores, estudantes e dirigentes de entidades. Também serão apresentados trabalhos científicos, atividades paralelas e exposição de máquinas, equipamentos e produtos lácteos.

A decisão foi tomada na semana passada, na primeira Assembleia Geral Ordinária do IGL, que contou com a presença de representantes de 31 das 35 entidades associadas. Atendendo convite do instituto, participou do encontro a chefe-adjunta de Transferência de Tecnologia da Embrapa Gado de Leite, Elizabeth Nogueira Fernandes. A unidade da Embrapa é promotora do evento.

Durante a assembleia ordinária também foi relatado que o IGL já tem personalidade jurídica, sede própria locada e está em fase final da compilação dos documentos necessários para firmar o convênio com o governo do Estado. Com isso, será possível acessar os recursos do Fundoleite, conforme previsto na Lei que instituiu o fundo. Os representantes das entidades associadas aprovaram o Plano de Trabalho que embasará o convênio. Também está em fase final de composição a Câmara Técnica do IGL, composta por representantes de 11 entidades e órgãos, que vai assessorar tecnicamente a diretoria do instituto.

Na avaliação do presidente do IGL, Gilberto Piccinini, ações concretas do instituto serão vistas tão logo as questões burocráticas sejam concluídas. “A ampla representatividade da cadeia do leite, com 35 entidades associadas, que detêm 90% dos produtores de leite e 70% da produção, a presença maciça na assembleia e a concretização do instituto nos dão essa certeza”, diz o dirigente. “Afinal, foi criado para desempenhar importante papel de união e desenvolvimento da cadeia leiteira gaúcha, trabalhando todas as fases, desde o produtor até o consumidor”, acrescenta.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...