Ibama emite licença parcial para duplicação da BR-386

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deu carta branca ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) para iniciar os trabalhos de duplicação do trecho restante da BR-386. A equipe foi autorizada a começar a retirada de árvores nativas, o desmatamento e a instalação da rede de drenagem. Serviço passa a ser realizado a partir desta terça-feira, dia 23.

No entanto, de acordo com o próprio Dnit, a terraplenagem e a pavimentação final dependem de uma outra permissão. Segundo o engenheiro de infraestrutura do Dnit, Adalberto Jurach, o Ibama deu ordem para o desmatamento dos dois quilômetros, mediante a construção de uma cerca em torno das terras caingangues. “O consórcio que realiza a obra tinha a ordem de realizar esse serviço nesta segunda-feira, dia 22. Acreditamos que a supressão de vegetação comece hoje”, explica.

Jurach diz que a liberação do Ibama termina com a conclusão da drenagem, que é a instalação dos bueiros para a movimentação de águas pluviais em toda a extensão do trecho ainda intocado.

Luiz Antônio Soares, que é engenheiro de uma das empresas do consórcio que executa a obra, afirma que a retirada de espécies nativas será imediata e avança por no mínimo 15 dias. “Nós não conhecemos aquela área, não tínhamos sequer autorização de entrar lá”, destaca.

As árvores serão transportadas para locais determinados pelo Ibama, apontados pelo Dnit. Já o restante da mata é apenas extraído do local. Enquanto realizam uma tarefa, os operários já vão atuando na frente de trabalho de drenagem. “Ainda não é possível falar em prazos, nem quanto essa liberação impacta na conclusão da duplicação”, completa o engenheiro.

Perto de um final feliz

O presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT), Ito Lanius comemora a notícia. De acordo com ele, a liberação da licença ambiental por parte do Ibama pode ser o último entrave na duplicação. “Essa obra se transformou em uma novela, com vários capítulos desnecessários. Mas tudo indica que ela está perto de um final feliz”, compara.

Lanius diz que a entidade ainda não foi comunicada pelos órgãos responsáveis pela duplicação da rodovia. Assim que isso ocorrer, a CIC-VT precisa retirar a placa de protesto que foi recolocada em uma das margens da rodovia. “Temos que nos certificar dessa situação e retirar o nosso protesto”, promete.

No dia 5 de setembro, a CIC-VT instalou duas placas uma em cada sentido da rodovia, no trecho próximo da aldeia, onde a duplicação ainda estava barrada. Com o título “Trecho da BR-386 não duplicado, incompetência do Dnit e da Funai”, o manifesto foi a alternativa do início do mês a uma possível paralisação da obra nos dois quilômetros que margeiam a estrada.

A placa teve que ser realocada, depois da ordem do Dnit de retirada do manifesto. Três metros adiante, em um terreno vizinho, o comunicado permanece à vista de quem passa pelo trajeto.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...