Hospital Ouro Branco investe em vídeo-cirurgias

“Proporcionar soluções em saúde com qualidade no atendimento para todos que utilizam os serviços do HOB, tornando-o autossustentável e contribuindo para o bem-estar da comunidade”, essa é a missão do Hospital Ouro Branco (HOB), de Teutônia. Baseado nisso e alicerçado no atendimento de qualidade e na constante busca pela inovação, a casa de saúde tem realizado uma série de investimentos e melhorias ao longo dos últimos anos. Entre esses investimentos estão novos equipamentos e a vinda de novos profissionais, que se somam aos que já atuam na casa de saúde, além de constante treinamento da equipe de saúde do hospital.

Um dos recentes equipamentos adquiridos é a nova torre de vídeo, essencial para a realização de vídeo-cirurgias, técnica cirúrgica minimamente invasiva. O HOB investiu cerca R$ 200 mil na compra do aparelho, por meio de linha de crédito específica de longo prazo para este tipo de investimento. A nova torre de vídeo permite a realização de vídeo-cirurgias abdominais, por exemplo, para retirada de vesícula biliar, apendicectomia, cirurgia de refluxo gastroesofágico, cirurgias de intestino, correção de hérnias de todos os tipos, laqueadura de trompas, entre outras.

Conforme o diretor clínico do HOB, médico Rodrigo Dallegrave Corrêa da Silva, há inúmeros benefícios na cirurgia por vídeo. “A técnica permite rápida recuperação, ou seja, breve retorno ao trabalho ou às atividades esportivas; menor dor pós-operatória, diminuindo a necessidade de analgésicos; menor risco de infecção, diminuindo ou eliminando a necessidade de antibióticos; menor risco de formação de hérnia incisional, já que com pequenas incisões há um menor dano à parede abdominal; menor perda sanguínea, com menor possibilidade de transfusões; menor risco de formação de aderências, como o risco de obstrução intestinal posterior; e vantagem estética, com cicatrizes mínimas ou imperceptíveis.”

Nova torre de vídeo

A nova torre de vídeo tem sido utilizada por profissionais da cirurgia geral, traumatologia, otorrinolaringologia e ginecologia do HOB. A casa de saúde adquiriu um conjunto Storz Full HD, top de linha, sem igual na região. “O investimento qualifica ainda mais a nova estrutura do Centro Cirúrgico e Obstétrico (CCO), com três amplas salas e excelente material de apoio, dotado de carros de anestesia, macas cirúrgicas, sala de recuperação e profissionais qualificados”, destaca Dallegrave

O que é a vídeo-cirurgia

A vídeo-cirurgia é uma técnica cirúrgica minimamente invasiva realizada com o auxílio de uma endocâmera no abdômen (láparo). Também conhecida por vídeo-laparoscopia, o método diagnóstico é relativamente recente e substitui a técnica anterior chamada de laparotomia diagnóstica, técnica invasiva com fins diagnósticos. É um procedimento desenvolvido na Alemanha na década de 1980 e introduzido no Brasil em meados de 1990, no qual imagens são captadas por uma ótica (lente) e transmitidas a uma microcâmera de vídeo e reproduzidas em uma tela de televisão ou em monitores de alta resolução.

A vídeo-laparoscopia vem sendo empregada em diversas regiões do corpo humano, como tórax, abdômen e a pelve. Possibilita, além da visualização do conteúdo dessas regiões em detalhes, a manipulação das vísceras em busca de anormalidades (tumores, aderências, cistos, hemorragias, inflamações), realização de biópsias e outros procedimentos. Além da sua utilidade como método diagnóstico, a vídeo-laparoscopia atualmente vem sendo utilizada principalmente com finalidade terapêutica, pois permite realizar cirurgias diversas, de baixa ou de alta complexidade.

Indicações da vídeo-cirurgia

  • Doenças da vesícula biliar (cálculos ou pólipos) são tratadas com a Colecistectomia (retirada da vesícula biliar);
  • Na esofagite e hérnia de hiato, é realizado a Hiatoplastia e Fundoplicatura para cura do refluxo gastro-esofágico;
  • Na apendicite, é realizado apendicectomia (retirada do apêndice), independente da fase da doença;
  • Doenças do intestino grosso e delgado (divertículos, pólipos, tumores) podem ser tratadas com colectomias, enterectomias;
  • Aderências abdominais, que podem causar obstrução intestinal, podem ser desfeitas com a vídeo-laparoscopia.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...