Homeopatia e Fitoterapia Animal são temas de capacitação em Colinas

Um grupo de cerca de 50 agricultores dos municípios de Bom Retiro do Sul, Estrela, Fazenda Vilanova, Imigrante e Colinas esteve reunido na última quarta-feira, dia 22, no salão da comunidade de Linha 31 de Outubro, em Colinas, para uma capacitação em Homeopatia e Fitoterapia Animal. Organizada pela Emater/RS-Ascar, a atividade é parte das ações da Chamada Pública do Leite, que está sendo operacionalizada pela entidade em todo o Estado, por meio de convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) do Governo Federal.

A Chamada Pública teve início em fevereiro de 2014. Desde então, as 500 famílias que integram o Lote 19 – do qual fazem parte 41 municípios dos vales do Caí, Taquari e Serra Gaúcha -, têm participado de capacitações, cursos, seminários, oficinas e dias de campo com atividades práticas e teóricas. “A ação é direcionada a bovinocultores de leite que possuam baixas litragens, mas que tenham potencial para ampliar e desenvolver a atividade”, explica o assistente técnico regional em Sistema de Produção Animal da Emater/RS-Ascar, Martin Schmachtenberg.

No caso do encontro realizado em Colinas, foram abordados temas como, homeopatia animal no controle de mastite, fitoterapia animal, identificação e reconhecimento das principais plantas medicinais, formas de preparo caseiro de produtos fitoterápicos e elaboração de produtos fitoterápicos de pré-dipping, pós-dipping e controle de mastite bovina. “O objetivo foi o de levar conhecimentos aos bovinocultores, promovendo também a troca de experiências”, ressalta a técnica em Agropecuária da Emater/RS-Ascar, Lídia Dhein.

O produtor Willy Wanderer, da localidade de Linha Westfalia, acredita que as capacitações auxiliam os agricultores a qualificar o seu trabalho. Com apenas 15 anos, o jovem, em período de férias escolares, já sabe o que quer. “Minha intenção é fazer o curso Técnico Agrícola e continuar na propriedade dos meus pais”, projeta. Não à toa, já cogita aumentar o plantel que, atualmente, conta com 17 vacas produzindo cerca de 120 litros de leite por dia, para 40 animais. “Gosto disso, de estar perto dos bichos, do trabalho no campo”, salienta.

Para a agricultora Marisa Antonietto Saldanha, a produção de leite tem sido uma excelente alternativa para a família. Não à toa o marido, Ademar, analisa a possibilidade de abandonar o trabalho como caminhoneiro para investir na atividade. Há dois anos eram apenas três vacas produzindo leite para o consumo da família. “Hoje possuímos 10 animais, rendendo oitenta litros de leite por dia”, ressalta Marisa, que vende o produto para uma agroindústria de Boa Vista do Sul. “A gente sabe das dificuldades, como no caso da chuva, que atrapalhou um pouco, mas vemos com boas perspectivas o trabalho no campo”, finaliza Ademar.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...