Happy Hour Empresarial da CIC Teutônia apresenta cases de sucesso

Primeira edição do evento diferenciado de integração e qualificação destaca histórias inspiradoras

“Faça o que você puder, onde você está e com o que você tem”, frase do ex-presidente norte-americano Theodore Roosevelt, que serve de inspiração para diferentes situações pessoais e profissionais, norteou o bate-papo proposto pela 1ª edição do Happy Hour Empresarial promovido pela CIC Teutônia, no dia 23 de outubro. Tendo por local a La Bodeguita, o evento em horário diferenciado contou com a participação de cerca de 120 pessoas. Com o tema “Histórias que inspiram”, foi uma oportunidade especial para o networking, o conhecimento e o desenvolvimento com a apresentação dos cases de sucesso das empresas Heilige, representada pelo sócio-diretor Rodrigo Yung; Divine, pelo coordenador de vendas Ivan Luís Schnorrenberger; e Vagão Urbano, pelo sócio-diretor Éverton Netto.

                A experiência inovadora da entidade empresarial teutoniense foi marcada pelo clima descontraído, com iluminação, bebida e comida especiais, uma maneira diferenciada de aproximação com os associados e empresários. Dividido em quatro blocos, cada palestrante teve cerca de 20 minutos para sua explanação, encerrando com espaço para perguntas, e tendo a mediação dos diretores do Comércio da CIC, Samuel Maders e Augusto Henrique Ruhrwiem.

                Iniciativa da Diretoria do Comércio da entidade, o Happy Hour prevê duas edições por ano, com novos eventos em abril e outubro de 2019.

                Boas experiências

                Schnorrenberger apresentou breve histórico da Divine Chocolates, fundada em 10 de outubro de 2011, com fábrica na cidade de Encantado. “O negócio surgiu do sonho e da paixão da família Turatti. A origem do nome está relacionada à história do chocolate, considerado divino, em inglês ‘divine’. A planta industrial possui 3.000m² e a empresa conta com 160 funcionários. Ao longo desses sete anos, todas as experiências vividas foram muito positivas”, enumerou.

                Ele também apresentou a filosofia empresarial e detalhou a área de atuação. “O planejamento prevê a expansão para o Norte e Nordeste brasileiro, bem como incrementos na exportação à Argentina e ao Uruguai”, anunciou. Schnorrenberger ainda falou das características dos cerca de 160 produtos da empresa e dos lançamentos da Divine. “O mercado de chocolates é sazonal, com trabalhos específicos para os períodos de Páscoa e Natal, com bom incremento também no Dia dos Namorados”, revelou.

                Valor das pessoas

                Yung falou dos oito anos de atividades da cervejaria Heilige, com fábrica em Santa Cruz do Sul. Para ele, um dos principais pontos para o sucesso são as pessoas. “Nossa equipe é bastante jovem, com pessoas comprometidas, de muita garra, que fazem o melhor pelo próximo. Nosso negócio não é produzir cerveja, mas proporcionar experiências por meio da cerveja”, exemplificou, mencionando prêmios nacionais e internacionais que reconheceram a qualidade do produto.

                Ele ainda falou de características do mercado cervejeiro. “A concorrência é muito grande e as empresas de cerveja artesanal pagam 50% de imposto sobre tudo que produzem. Além disso, enfrentamos dificuldades para ingresso em redes supermercadistas, que possuem contratos com grandes companhias. O setor é bastante complexo, por isso não nos contentamos em fazer o mesmo que outras empresas já fazem”, citou.

                A Heilige, com três sócios, também conta com franquias de pubs e desenvolveu software para cervejarias. “Precisamos ‘ter pulmão’, ser autossustentáveis, para não ficarmos à mercê de grandes companhias”, concluiu, falando ainda de custos, tecnologias e insumos para a produção de cerveja artesanal.

                Tendência de mercado

                Netto apresentou a Vagão Urbano, empresa que utiliza containers marítimos para empreendimentos comerciais e residenciais. “É uma tendência de mercado, com aplicabilidade para diferentes tipos de negócios. Entre os benefícios estão a mobilidade, climatização e redução de ruídos, decoração e custo”, elencou, enaltecendo trabalho que desenvolve com o irmão Jéferson.

                “Eu sempre quis ter meu próprio negócio e precisei estudar muito bem ‘o jogo’ que estava disposto a ‘jogar’. Após muita pesquisa, vimos que os containers possuem vida útil de 10 anos para o transporte de mercadorias. Depois desse período, compramos e recuperamos essa estrutura metálica”, comentou, falando do planejamento e logística para aquisição, transporte e instalação do novo empreendimento em container.

                A Vagão Urbano está há sete anos no mercado, possui sua fábrica em Portão e atua principalmente no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Para Netto, quatro palavras resumem o perfil do empreendedor: “intuição, suor, paixão e humildade”.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...