Grupo faz visita técnica à cooperativa no Uruguai

A Dália Alimentos esteve representada em uma visita técnica à Cooperativa Nacional de Produtores de Leite do Uruguai (Conaprole), em Montevidéu, no Uruguai. Junto ao grupo de acadêmicos dos cursos de Química Industrial e Engenharia de Alimentos da Univates, esteve a gerente da Divisão Controle de Qualidade (DCQ) da Dália Alimentos, Ivane Giacobbo; a supervisora dos laboratórios de leite, Simone Bouviê; e a funcionária do laboratório de Encantado, acadêmica de Química Industrial, Rosana Cavaleri.

A viagem foi realizada no dia 14 de junho e proporcionou à comitiva conhecer a planta 21 da Conaprole, inaugurada em 2004 e equipada com modernos maquinários e processos automatizados. A cooperativa foi fundada em 1º de junho de 1936 e possui os certificados de qualidade ISO 9001: 2008, ISO 22000: 2005; ISO/IEC 17025: 2005, ISO 14000, além do BMP HACCP.

Têm 1,6 mil produtores de leite associados e o pagamento da produção entregue se dá pelos resultados de proteína e gordura. O recebimento total gira em torno dos 3,8 milhões de litros por dia, na entressafra; e dos 4,8 milhões de litros/dia, no período de safra.

Além da visita técnica, o grupo fez um citytour pela capital do Uruguai, conhecendo os principais pontos turísticos, que surpreende pela arborização, praças e monumentos. Montevidéu é uma das cidades mais visitadas pelos gaúchos pelos cassinos, praias formadas pelo Rio da Prata e pelas compras nos Free Shops das fronteiras.

Processo de análise e carregamento

Na Conaprole, as análises realizadas no leite são acidez, temperatura, sólidos totais, inibidores de crescimento, gordura e proteína. Quanto à coleta, na propriedade rural o motorista verifica a temperatura do leite e realiza o teste de alizarol. Se a coleta amostra de cada produtor estiver de acordo com o padrão, o produto é carregado no caminhão-tanque e transportado para a indústria.

Durante o processo de coleta de leite de cada produtor, uma amostra do leite do caminhão tanque é coletada de forma automática por equipamento no quadro de controle do caminhão. Na chegada dos caminhões à indústria é iniciada a descarga do produto com coleta de amostra de cada caminhão de forma automática, que é enviada para o laboratório juntamente com a amostra do tanque, automaticamente coletada nas propriedades rurais.

As duas amostras são enviadas para o laboratório para fazer as análises. Caso as amostras apresentarem resultados diferentes, são verificadas as causas. Se apresentar problemas na carga, as amostras dos produtores são analisadas conforme o cronograma do Ministério da Agricultura daquele país.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...