Girando Sol dá início à fabricação própria de sabão glicerina

Passado um ano da inauguração do novo parque industrial de 22 mil m² da Girando Sol, de Arroio do Meio, a empresa faz novos investimentos. A novidade é o incremento de uma linha voltada à fabricação própria do Sabão Glicerina Alcoólico em barra. A produção já começou e busca atender a demanda crescente pelo item, até então com fabricação terceirizada. Com capacidade inicial de 150 mil kg/mês, o objetivo é melhorar processo e o produto final. “Buscamos reduzir custos, ter mais qualidade e controle de processos. Com isso podemos aumentar a capacidade de produção e também aprimorar o visual do produto”, afirma o gerente geral, Marco Jaeger.

O investimento foi de aproximadamente R$ 1,3 milhão, aplicado na estrutura, maquinário e formas. Os sabões em barra da Girando Sol são comercializados há nove anos e estão entre as dez marcas mais vendidas na Região Sul do Brasil, segundo pesquisa da Revista Supermercado Moderno. O diretor da Girando Sol, Gilmar Borscheid, observa que a venda desse item começou por solicitações de consumidores. “Na época não tínhamos estrutura física e tecnológica e por esse motivo optamos por iniciar com a fabricação terceirizada. Hoje estamos dando um novo e importante passo”, afirma.

A Girando Sol tem no mercado sabões em barra de 200 gramas e 400 gramas nas fragrâncias Azul, Coco, Glicerina, Glicerinado Fresh, Glicerinado Floral e Glicerinado Neutro. No ano passado, lançou sabões em pasta e apresentou para o mercado o inovador Sabão de Coco de Babaçu, um produto premium da marca. Ele tem em sua composição fatores que aliam saúde, bem-estar e respeito ao meio ambiente. Por ser um sabão de coco, é 100% natural e biodegradável. É ideal para roupas finas e delicadas, além de atuar com eficácia nas tarefas mais difíceis, por seu alto poder desengordurante.
Saiba mais

A Girando Sol está no mercado há 26 anos. Fabrica 12 linhas de produtos de limpeza doméstica e comercializa seu mix para os estados da Região Sul do Brasil, além de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e alguns países do exterior. O novo parque industrial é resultado de um investimento de mais de R$ 45 milhões, entre recursos próprios e financiamento via BNDES. A estrutura é uma das mais modernas e tecnológicas da Região Sul.

Fonte Simone Rockenbach

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...