Gilberto Piccinini assume como 1º presidente do Instituto Gaúcho do Leite

Além de liderar as bases da Dália Alimentos, Gilberto Piccinini agora também terá o desafio e o pioneirismo de presidir o Instituto Gaúcho do Leite (IGL). Ele foi eleito na terça-feira, dia 11, como o primeiro presidente da entidade que deverá trabalhar em prol da organização, produtividade, qualidade, sanidade e renda do setor.

O evento que deu formatação ao IGL ocorreu na sede do Sindicato das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul (Ocergs), na capital. Além da diretoria, também foi instituído o estatuto da entidade, que terá seu registro em cartório feito nas próximas semanas. Participaram representantes de 47 entidades e cooperativas representativas do setor.

A criação do instituto era discutida há bastante tempo, sob o compromisso de promover ações que contribuam com a qualidade e consolidação da produção gaúcha de leite, que perde apenas para o estado de Minas Gerais no país.

Inicialmente, o instituto terá orçamento anual de R$ 2,4 milhões, cujos recursos serão provenientes do Fundo Estadual do Leite (Fundoleite). Assuntos como a contribuição e organização dos 120 mil produtores estarão na pauta do colegiado, assim como medidas de combate à adulteração.

Para Piccinini, que também acumula a função de presidente da Câmara Temática do Leite da Ocergs, assumir a presidência de um órgão novo e tanto discutido quanto a sua criação configura-se como mais um desafio. Ele, que também é produtor de leite e suínos, afirma que a criação do IGL foi um momento histórico para a cadeia produtiva do leite. “Queremos transformar o Rio Grande do Sul em mercado de referência. Temos o desafio de organizar o instituto e sentimos que a expectativa é muito grande”, comenta.

Diretoria

Compõem a primeira diretoria do IGL Gilberto Antônio Piccinini, como presidente; Elton Weber, da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag), na vice-presidência; Wilson Zanatta, do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Rio Grande do Sul (Sindilat-RS), como 2º vice-presidente; Marcelo Roesler, da Associação dos Pequenos Produtores de Laticínios (Apil), como primeiro-secretário; e Luiz Fernando Mainardi, titular da Secretaria de Agricultura do Estado, como 2º secretário.

Os suplentes são representantes da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul), da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul) e da Associação Gaúcha de Laticinistas e Laticínios (AGL).

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...