Frigorífico de Suínos da Languiru recebe habilitação para exportação

Foi publicada no dia 1º de agosto a circular no. 518, expedida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e assinada pela Secretaria de Defesa Agropecuária, Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal e Coordenação Geral de Programas Especiais, que habilita o Frigorífico de Suínos da Cooperativa Languiru para exportar seus produtos ao mercado internacional.

Com esta habilitação, a unidade industrial, inaugurada em abril de 2012 no município de Poço das Antas, está apta a comercializar a carne de suíno in natura, miúdos de suíno in natura e produtos à base de carne para países das Américas Latina e Central, Ásia e África.

A informação foi festejada pelo presidente da Languiru, Dirceu Bayer. “Toda ‘família Languiru’ está comemorando esta importante conquista da cooperativa: a possibilidade de abastecermos o mercado externo com nossos produtos de qualidade produzidos no frigorífico de Poço das Antas.”

Retorno dos investimentos

Bayer agradece o empenho de todos os associados e colaboradores para que a Languiru conquistasse a habilitação. “No novo frigorífico foram aplicados mais de R$ 60 milhões, nossas instalações e equipamentos são de alta tecnologia, o que nos permite entregar agora aos mercados interno e externo produtos de qualidade. Tudo isso é reflexo do bom momento vivido pela Languiru, de consolidação do resultado e retorno dos investimentos realizados nos últimos anos, confirmando a posição de terceira maior cooperativa do agronegócio gaúcho”, festejou o presidente.

A exportação de produtos suínos soma-se ao trabalho da Languiru com o mercado externo, que há mais de 20 anos exporta frangos e embutidos para cerca de 40 países.

Estrutura pensada para a exportação

Desde o desenvolvimento da planta industrial, o Frigorífico de Suínos da Languiru foi planejado para atender a demanda dos mercados interno e externo. Inaugurado no dia 13 de abril de 2012, o abatedouro em Poço das Antas é considerado um dos mais modernos do país, emprega tecnologia de ponta em 14,5 mil metros quadrados. Atualmente abate 1,1 mil suínos por dia, com capacidade total de abate de 2,5 mil animais/dia a partir da segunda fase. O frigorífico conta, hoje, com cerca de 400 funcionários.

Na unidade são industrializados cerca de 130 produtos, com carnes in natura, salgados, defumados e embutidos. Nos 57 anos da Languiru, o Frigorífico de Suínos foi o maior investimento da história da cooperativa.

Desde a primeira supervisão do Mapa, realizada em novembro de 2012, a estrutura da cooperativa tem agradado aos fiscais e diretores do Ministério, tanto que a planta industrial já serviu de base para vídeo institucional do Governo Federal na apresentação de estruturas e processos produtivos da suinocultura.

Em abril de 2013, o Mapa realizou nova supervisão e auditoria, a partir da qual a Languiru encaminhou ofício para se habilitar ao mercado externo. “Os trâmites burocráticos foram muito rápidos e em 60 dias conseguimos a habilitação para o mercado externo, graças ao bom desempenho apresentado na última auditoria, sem a necessidade de nova auditoria específica para a habilitação. Toda a estrutura do Frigorífico de Suínos foi pensada para atender também o mercado externo. Todos os projetos de autocontrole necessários para o mercado interno já foram desenvolvidos, também, considerando as exigências internacionais”, destaca o gerente industrial, Lucas Penteado.

A partir disso, a Languiru também busca a habilitação para atender outros países que possuem exigências específicas para importação de carne e produtos de origem suína, os quais apresentam algumas particularidades diferentes da legislação brasileira.

“Este era um antigo sonho da Languiru e o sentimento de toda equipe é de grande satisfação. Associados e colaboradores, estão todos de parabéns pelo esforço que nos permitiu conquistar esta habilitação. O reconhecimento se deve a todos que abraçaram a causa, transformando o sonho em realidade”, acrescenta a coordenadora da Qualidade, Carla Diedrich.

O próximo passo será o desenvolvimento da rotulagem para a venda do primeiro container ao mercado externo. A partir dessa habilitação para a “lista geral” de países, a Languiru inicia os trâmites para se habilitar para negócios com os países da “lista especial”, o que depende da auditoria de profissionais dessas nações.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...