Fraude do leite: Instituto Gaúcho do Leite sugere medidas

O Instituto Gaúcho do Leite (IGL) divulgou nota com sugestões de adoção de medidas da própria cadeia produtiva – entes privados e públicos a ele associados – que possam levá-la a devolver ao consumidor plena confiança para o consumo de leite e derivados.

“Pretendemos com esta iniciativa alçar a cadeia a patamares mais elevados de atividade, através da inserção plena no mercado externo e alargamento significativo do consumo interno” explica Gilberto Piccinini, presidente do IGL. “Afinal, estamos tratando de segmento dos mais importantes, econômica e socialmente, não só no momento presente, mas, principalmente, para o que poderá significar no futuro, com seu desenvolvimento pleno”, enfatiza

No estado, são 121 mil famílias que comercializam leite – principalmente de atividade familiar – com impacto em 90% (450) dos municípios onde a renda mensal dos produtores de leite é fundamental para os demais segmentos econômicos (indústria, comércio e serviços). Somando a riqueza gerada pela indústria laticinista, mais o efeito econômico da circulação do dinheiro recebido pelos produtores de leite mensalmente, estamos diante de cadeia produtiva responsável por cerca de 5,5% do PIB gaúcho, informa Piccinini.

Em compensação, o não desenvolvimento do segmento leite, de forma plena, dentro das exigências cada vez maiores do consumidor, buscando inserir o maior número possível de produtores em processo técnico e rentável, pode levá-los a deixar o meio rural, alerta o IGL. “Ao invés de gerar importante renda ali, poderão migrar para as cidades sem preparo suficiente e passar a gerar custos sociais crescentes”, complementa Piccinini.

Para o presidente do IGL, “nossa base ampla, de trinta e cinco entidades associadas, permitiu e nos impulsionou a um debate aprofundado e qualificado sobre as medidas a serem tomadas neste momento decisivo para a cadeia leiteira”. Acrescenta que “o IGL, peça integrante da trilogia Prodeleite e Fundoleite, juntamente com as entidades do setor, saberão inscrever a cadeia leiteira gaúcha num cenário moderno a favorável”.

Anexo: 

Nota à população do IGL

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...