Formada comissão para protesto em reivindicação de melhorias nas rodovias da região

Após uma reunião realizada nesta terça-feira (28),  no Auditório da Prefeitura de Doutor Ricardo entre prefeitos da região, Ministério Público, entidades e empresas foi formada uma comissão para organizar protesto, que visa o comprometimento do Governo do Estado para fazer o recapeamento das rodovias, sinalização e roçadas.

A prefeita Catea Rolante é quem preside a comissão. Integram o grupo o representante da OAB Subseção de Encantado Jorge Calvi; o vereador de Arvorezinha Jaime Borsatto; a presidente da Câmara de Doutor Ricardo Veridiana Alba, o presidente da AMVAT Jonatan Brönstrup; o presidente e demais prefeitos que compõe o G10; a presidente da Acisar/CDL de Arvorezinha Iraci Fachinetto; o presidente da Amturvales Leandro Arenhart; o empresário Jairo Casagranda; o presidente do Legislativo de Encantado Luciano Moresco; Luzia Carlesso da ACI.I/CDL Ilópolis; a empresária encantadense Renata Galiotto; o antagordense Alvimar Tremea; e o representante da AA Moinhos Ismael Rosset. Catea já convocou deputados estaduais e federais para uma reunião.

Confira o que foi explanado durante a reunião

O assessor jurídico da Prefeitura de Doutor Ricardo, Sebastião Silveira, salientou: “Quando começou a problemática da ERS 332 e a prefeita Catea nos cobrava soluções, nós encaminhamos pleitos para a Assembleia Legislativa do Estado, ao Governo e ao Ministério Público de Encantado. Porém o que tivemos foi uma raspagem do asfalto ocasionando diversos problemas. Após foi feita uma recapagem, mas meses depois já apresentava várias falhas. Hoje resolvemos nos reunir com todos os municípios e órgãos para que possamos aumentar o eco na busca dessas soluções. O objetivo desse encontro não é realizar uma caça às bruxas, não é partidarizar o problema, não é encontrar culpados, e sim viabilizar alguma forma de solução desse problema em caráter de urgência. Por essa estrada são transportadas crianças, idosos, doentes, pacientes, com os mais devidos fins e objetivos”, disse.

A prefeita, Catea Rolante, destacou a importância de uma comissão que represente a região junto ao Governo do Estado e ao Daer. “Queremos soluções concretas. Sentei em dos buracos da ERS não para me vangloriar, mas por indignação, por tristeza. Até que os problemas são apenas materiais tudo bem, mas quando envolve risco de vida não dá mais. Não suportamos mais isso e não temos o retorno de ninguém”, frisou.

“Queremos uma solução para não nos preocuparmos mais. Não adianta uma solução rápida para daqui há cinco meses estarmos fazendo a mesma reivindicação. Eu me sinto cansada. O trecho é de muita neblina, o mato está tomando conta, não temos sinalização, o desnível do asfalto é grande. Que possamos ter um início, meio e fim dessa obra”, acrescentou.

O empresário de Anta Gorda, Jairo Casagranda parabenizou a todos pela mobilização: “Tivemos uma reunião com o Ministério Público há uns 40 dias para discutir sobre a nossa estrada e sobre a mudança do local do pedágio de Encantado. Pensamos em um futuro encontro com o governador e eu estou à disposição para o que for preciso, para procurar nossos políticos e pedir socorro”, salientou.

A presidente da Câmara de Vereadores de Doutor Ricardo, Veridiana Alba enfatizou: “Talvez tenhamos que fazer um esforço entre prefeituras e câmaras para juntar o dinheiro necessário para que seja melhorado o asfalto”, sugeriu. “Nós temos empresas em Encantado, Doutor Ricardo, Anta Gorda, Putinga, Ilópolis e Arvorezinha que trafegam todos os dias por esse trecho, se pegarmos o imposto que cada uma paga daria para fazer o asfalto”, acrescentou o vice-prefeito Álvaro Giacobbo.

Também se manifestou o prefeito de Encantado, Adroaldo Gonzatti. “O Ministério Público tem que agir para responsabilizar a empresa que fez a obra e quem fiscalizou. É preciso buscar esses responsáveis e traze-los ao trecho para resolver o problema em um curto espaço de tempo, ou faremos denúncias imediatamente”, disse.

Presidente da CIC Vale do Taquari, Pedro Antônio Barth informou que no dia 30 de junho estará junto à Secretaria da Governança de Assuntos Estratégicos do RS falando sobre a questão das rodovias estaduais. “Não podemos parar de reivindicar e nos colocar à frente do Governo do Estado”, pontuou.

O vereador Luciano Moresco, de Encantado enfatizou que movimentos semelhantes a esse vem ocorrendo ao longo de muito tempo. “E sempre chegamos ao mesmo resultado: programando para daqui a não sei quanto tempo uma nova reunião para discutir os mesmos problemas. Na Câmara de Vereadores na semana passada nós fizemos um encaminhamento ao secretario de Obras do Estado e ao diretor do Daer para ter acesso ao contrato de recuperação da ERS, pois nele consta a garantia da obra e quem são os seus ficais, se não fizermos isso vamos continuar a fazer papel de otários porque ninguém dá muita bola para o que estamos fazendo. Temos que identificar os responsáveis, o tipo de serviço contratado e a partir daí talvez quem sabe até juntar uma ‘grana’ para pagar para a assessoria jurídica e técnica para fazer o enfrentamento no nível que ele deve ser feito”, destacou.

Representando a OAB Subseção de Encantado, Jorge Calvi ressaltou: “Nós da OAB entendemos que se houve um contrato para a execução de uma obra ele tem que ser feito conforme os requisitos. É cabível sim uma ação judicial para buscar os responsáveis e se for o caso, exigir que refaçam as obras conforme os termos técnicos. A OAB é parceira nisso. Acredito que OAB e Ministério Público podem fazer um trabalho diferenciado”, indagou.

O ex-vereador antagordense, Alvimar Tremea desabafou: “Venho acompanhando a angústia que todos os prefeitos que passaram, desde o início da pavimentação da ERS 332, até hoje e vejo que paciência e tolerância tem limite. Os prefeitos são muito passivos em tolerar o descaso e o desrespeito. Existem recursos empenhados para tais finalidades, por isso temos que cobrar uma solução. Se não houver pressão nós não vamos há lugar nenhum. Essa história já vem se repetindo há 30 anos. Se faz e não se consegue manter e é a população quem paga a conta”, disse ao sugerir a realização de uma manifestação.

A diretoria da Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari esteve presente na reunião.

Fonte Eco Regional

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...