Família de Imigrante investe em agroindústria para a produção de sucos de uva

Há cerca de um ano a família Rabaioli, composta pelos irmãos Marcelo e Marciano e os pais Ibanor e Lenir, de Linha Harmonia Alta, município de Imigrante, resolveu investir em uma agroindústria para a produção de sucos de uva, como forma de agregar valor à fruta dos parreirais que acompanham a família há 16 anos. A ideia, de acordo com Marciano, surgiu após uma conversa. “Como vendíamos as nossas uvas para uma empresa de Bento Gonçalves, que nem sempre nos pagava bem e em dia, resolvemos encurtar essa distância produzindo os nossos próprios sucos”, explica o agricultor.

Com o apoio de uma linha de financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e da Emater/RS-Ascar, nas partes técnica e documental, o empreendimento tomou forma. “Esta é a primeira safra em que estamos trabalhando com o produto”, comemora Marciano. No local, as 40 toneladas de uvas, distribuídas em dois hectares de área, se transformaram em 44 mil litros de sucos, que são vendidos para o comércio local a R$ 6 o litro. “Nessa semana deve sair a documentação do Ministério (da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que nos permitirá a venda em todo o País”, explica.

Com o objetivo de ganhar mais experiência em relação à comercialização, os irmãos participam de cursos, encontros e capacitações sobre o tema. “Eu já fiz o curso de boas práticas de fabricação e sigo procurando atividades na área, senão a gente fica pra trás”, observa Marcelo. A habilidade na hora de trabalhar com a desengaçadeira, com o tanque de tratamento enzimático e com o pasteurizador, entre outros equipamentos, foi sendo adquirida com o uso. “Não adianta, a gente aprende fazendo”, acredita Marcelo.

Animados, os jovens irmãos não pretendem sair da propriedade. Ao contrário, já que além da produção de sucos se envolvem também com o cultivo de tomates italianos, que são comercializados localmente. “A nossa intenção para o futuro é passar a fazer também os sucos de laranja”, projeta Marciano. “Mas vamos dando um passo de cada vez”, se manifesta um sorridente seu Ibanor. Para o assistente técnico regional em Agroindústria Familiar da Emater/RS-Ascar, Alano Tonin, o investimento em uma agroindústria sempre representará uma excelente alternativa para que os agricultores agreguem valor ao seu produto. “Algo que também pode contribuir para o aumento da qualidade de vida e para a continuidade dos jovens na propriedade”, salienta.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...