Extensionistas da Emater/RS-Ascar recebem capacitação sobre erva-mate

Um grupo de extensionistas da Emater/RS-Ascar e representantes de outras instituições ligadas ao polo ervateiro dos vales do Taquari e Rio Pardo participou na última quinta-feira, dia 24, no Museu do Pão, em Ilópolis, de uma capacitação sobre erva-mate. Organizado pela Embrapa Florestas e pelo Instituto Brasileiro da Erva-Mate (Ibramate), a atividade teve o objetivo de repassar aos técnicos da Instituição as novas recomendações de adubação e calagem para a planta, fruto de uma pesquisa realizada pelo engenheiro florestal Delmar Santin.

Na ocasião, o pesquisador demonstrou as diferentes demandas nutricionais da erva-mate para cada uma das fases de desenvolvimento da cultura. O objetivo, de acordo com Santin, é que, a partir do trabalho realizado, os participantes estejam aptos a efetuar as recomendações de adubação e calagem ideias para a erva-mate. “Por meio do curso, também estarão aptos a calcular as doses de adubação mineral e orgânica, assim como as doses de calcário quando for necessário, para as fases de plantio, formação da copa e produção”, afirmou.

Para Santin, o trabalho também deve ser valorizado por possibilitar ao produtor, o acesso aos resultados de pesquisas científicas, algo que nem sempre acontece. “Ao repassar essas informações nós estamos transferindo uma tecnologia que é o resultado de uma série de estudos”, explica. Para ele, uma aplicação consciente das novas recomendações, pode representar um aumento de até 50% em produtividade. “E isso sem a necessidade de plantar novos pés de erva-mate e sim, apenas equilibrando nutrientes como, nitrogênio, potássio, fósforo, magnésio e cálcio, entre outros”, ressalta.

O pesquisador afirma ainda que, atualmente, são poucas as pesquisas na área. Um dos dilemas, de acordo com Santin, é que as informações existentes atualmente nunca passaram por um processo comprobatório. “O produtor em muitos casos, realiza o manejo de acordo com o que aprendeu através dos tempos”, diz. Para ele, a hipótese com que se trabalha é a de que um erval bem nutrido pode apresentar uma qualidade de matéria-prima muito superior àqueles que estão com alguma insuficiência nutricional.

Para o diretor executivo da Ibramate, Roberto Ferron, a capacitação, resultado de convênio entre as instituições envolvidas, é extremamente relevante para o polo ervateiro regional. “Esse tipo de qualificação leva as pesquisas ao público mais interessado, que são os técnicos e produtores”, observa. Este é o terceiro curso que é realizado, lembra Ferron. “Os outros dois ocorreram recentemente em Palmeira das Missões e Erechim, capacitando mais de 70 técnicos”, completa. Produtores interessados em obter mais informações sobre as novas recomendações para adubação e calagem podem procurar os escritórios municipais da Emater/RS-Ascar.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...