Extensionistas da Emater/RS-Ascar participam de capacitação em Lajeado

Um grupo de extensionistas da Emater/RS-Ascar, integrantes do Lote 19 da Chamada Pública do Leite – operacionalizada pela instituição, por meio de convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) –, participou na última quinta-feira, dia 6, de uma capacitação sobre o uso de planilhas para gerenciamento da propriedade leiteira (GPL) em unidades de referência (URs). O evento, realizado na Associação Atlética Municipal de Lajeado, contou com palestra do assistente técnico regional em Sistema de Produção Animal da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, Pedro Urubatan da Costa.

Na ocasião, Costa também abordou a importância do trabalho junto às URs, no sentido de que elas se tornem espaços para ampliação dos conhecimentos, por meio do acompanhamento que tenha por base uma visão mais sistêmica. “Algo que, além de ajudar na formação e qualificar a ação extensionista, dá consistência ao trabalho, gerando referenciais para utilização posterior”, analisa. Para Costa, a unidade de referência não tem o objetivo de ser um mero “modelo” no sentido de evolução. “E sim, ser aquela propriedade que servirá de base, com ou sem avanços”, salienta.

Para o coordenador da Chamada Pública do Leite no Regional da Emater/RS-Ascar de Lajeado, Martin Schmachtenberg, o trabalho de apoio dado por Urubatan qualificará os extensionistas não apenas no uso de tabelas que envolvam a produtividade, mas para o fluxo da propriedade como um todo, de forma muito prática. “O uso da ferramenta será feito inicialmente nas URs, se estendendo, posteriormente, a todos os assistidos na área leiteira”, ressalta. A atividade contou ainda com a presença do gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli.

Sobre a Chamada Pública do Leite

Voltada a produtores com baixas litragens, mas com potencial para desenvolver e ampliar a atividade leiteira, com vistas a garantir qualidade de vida e, em muitos casos, sucessão familiar, a Chamada Pública do Leite, na região, tem o envolvimento de 41 municípios e 500 famílias beneficiadas. Ao final da atividade, que segue até o final de fevereiro de 2017, espera-se, de acordo com Schmachtenberg, que os beneficiários possam se apropriar dos temas abordados nas capacitações, cursos, palestras ou dias de campo que tem sido realizados, aumentando sua produção e, consequentemente, sua renda.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...