Evento sobre agroecologia em Colinas promove troca de mudas, semente crioulas e talos

Cerca de 50 produtores do município de Colinas participaram, na tarde de terça-feira (06/06), de um encontro sobre agroecologia com troca de mudas, sementes crioulas e talos. Organizado pela Emater/RS-Ascar, Prefeitura e Associação de Mulheres Colinenses (AMC), o evento foi realizado na sede da Sociedade Esportiva e Recreativa Juventude, na Linha 31 de outubro. Na ocasião também foram repassadas informações sobre preparados agroecológicos que funcionam como métodos naturais para controle de insetos e outras pragas que afetam os cultivos.

A extensionista da Emater/RS-Ascar, Lídia Dhein, salienta a importância do encontro, que visa promover o resgate, a manutenção e a preservação de mudas, de talos e de sementes crioulas. “Assim o evento, que já está indo para a sétima edição, se torna um excelente momento para troca de experiências e de produtos que poderão se multiplicar nas propriedades dos envolvidos”, salienta Lídia. Para ela, também é importante a reflexão sobre aquilo que se está consumindo, com a certeza de mais qualidade na mesa dos agricultores, de suas famílias e também de consumidores.

É o caso da produtora Evoni Back Wust, da localidade de Linha Santo Antônio. Na propriedade que divide com o marido Eloir são dezenas de cultivos, todos orgânicos – de verduras a fitoterápicos. “Trabalhei a vida toda na cidade, em abatedouros, restaurantes e hotéis e depois que me aposentei resolvi adotar este como um modelo de vida”, orgulha-se. Evoni dá risada quando reconhece que, mesmo consumindo alimentos mais naturais, ganhou uns quilos em seu retorno ao campo. “É que temos muita fartura de alimento”, sorri. “E comida boa, de qualidade, natural, sem agrotóxicos”, completa.

Situação semelhante ocorre com a agricultora Geni Käfer, da localidade de Linha Westfália. Em sua propriedade, todos os cultivos são agroecológicos – do aipim e da batata-doce ao milho. Um dos destaques da propriedade é a abóbora, que pode servir tanto de alimento para os animais da propriedade, como para a família, por meio de deliciosas sobremesas. Não por acaso, ela foi a responsável por trazer para o evento diversos pacotes de sementes da variedade de pescoço verde listrada. “É uma oportunidade de troca, com a intenção de disseminar as variedades crioulas”, comenta.

Durante o encontro, foi possível trocar sementes de hibisco, ervilha, vassoura, melão de neve e moranga estrelada e talos e mudas de aipim roxo, canela, couve de cabeça, açafrão e manjericão, entre outros. Para a extensionista da Emater/RS-Ascar Cleide Duarte, uma horta orgânica é sinônimo de saúde e diminuição da sobrecarga de toxinas no organismo. “Além de restaurar a biodiversidade do planeta, proteger as gerações futuras e combater o estresse, a partir da produção do próprio alimento”, comenta.

A respeito das formas de controle de formigas, pulgões, gafanhotos e cochonilhas, são diversos os inseticidas naturais que podem ser feitos com arruda, mamona, losna, cinamomo, marcela, pimenta-do-reino e três marias, além de outros ingredientes como o extrato pirolenhoso. “Também o fortalecimento e a nutrição do solo, a adoção de coberturas verdes, e de quebra-ventos, com a presença de ervas companheiras – casos do alecrim, da erva cidreira, da manjerona e da sálvia, que podem contribuir para a manutenção do processo agroecológico de produção”, explica Lídia.

Além de extensionistas e agricultores, o evento contou com a presença de autoridades, como a prefeita em exercício de Colinas, Regina Sulzbach, o gerente adjunto da Emater/RS-Ascar, Carlos Lagemann e o coordenador de Agricultura e Meio Ambiente, Marco Rohr. Regina valorizou o evento, especialmente em tempos em que a industrialização e o consumo de produtos excessivamente químicos e com conservantes têm sido a ordem do dia. “Somos bombardeados, diariamente, pela mídia, sendo importante a promoção desse resgate que representará mais saúde, adiante”, analisa. Lagemann ressaltou o trabalho em parceria, no sentido de buscar a recuperação da qualidade daquilo que se consome. “E as sementes crioulas, com genética original, são a base para uma alimentação de qualidade”, comentou.

Fonte Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Lajeado

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...