Estudantes de Taquari aprendem na prática com projeto Educando com a Horta Escolar

Desde o mês de março desse ano, um grupo de quinze alunos de 5ª a 8ª série da Escola Estadual Nossa Senhora do Assunção, na localidade de Costa do Santa Cruz, em Taquari, tem participado do projeto Educando com a Horta Escolar. O objetivo da ação, de acordo com a coordenadora Luísa Hauschild, é intervir na cultura alimentar e nutricional dos alunos, com base no entendimento de que é possível promover a educação integral da comunidade escolar, incorporando a alimentação nutritiva, saudável e ambientalmente sustentável como eixo gerador da prática pedagógica.

Com o apoio da Emater/RS-Ascar, os integrantes do projeto participam de todas as etapas que envolvem o cultivo de uma horta, que vão desde a seleção das sementes e o transplante de mudas, até chegar à colheita e ao consumo. Nesse sentido, para a professora Josene Aparecida dos Santos, que desenvolve parte das oficinas com os alunos, o projeto é benéfico não apenas por promover a alimentação saudável, mas por resgatar técnicas agrícolas que eram utilizadas historicamente por camponeses. “E como os nossos alunos são da periferia da cidade, ainda há uma identidade urbana muito forte”, observa.

Josene salienta ainda que o projeto surgiu para retomar as atividades com canteiros sustentáveis, que já eram realizadas anteriormente no educandário que, hoje, possui 210 alunos e 25 professores. “Após uma triagem feita em cada turma, reuniu-se o grupo final de estudantes interessados em fazer parte do programa”, explica. Como forma de organizar o trabalho, os alunos realizam as atividades em horários alternados, equilibrando teoria e prática. “Nesse sentido, o turno integral, com os alunos tomando café e almoçando na escola, possibilita uma verdadeira imersão em cada atividade curricular”, observa.

Na horta totalmente orgânica, são cultivados alfaces, couves, brócolis, repolho, tempero verde, rabanete, espinafre, cenoura e beterraba, que são consumidos por toda a comunidade escolar em suas refeições. “Além de técnicas agroecológicas para proteção das plantas, com caldas repelentes e outras ações do tipo, também são abordados assuntos relacionados à história da agricultura, aos alimentos transgênicos e sobre a importância dos cuidados com a terra, como forma de compor a base teórica deles”, ressalta a extensionista Social da Emater/RS-Ascar, Ana Cláudia Desconsi.

O objetivo é de que cada exemplo seja levado para além do ambiente escolar, chegando até a casa dos alunos, com a elaboração de hortas domésticas. É o caso do estudante Mateus dos Santos Ramon, do sétimo ano. Morador do bairro Ibrasa, ele nunca havia realizado qualquer atividade do tipo antes. Agora, já pensa em implantar uma horta em casa, especialmente para plantar os seus vegetais preferidos, a cenoura e a alface. Na hora do trabalho, é sincero em dizer que não gosta muito de capinar. “Mas adoro fazer os canteiros e colher, é claro!”, afirma, antes de soltar a gargalhada.

Além do servir para o consumo dos alunos, contribuindo para a segurança e a soberania alimentar de toda a comunidade escolar, o alimento excedente tem sido comercializado na feira local que, recentemente, foi reestruturada com o apoio da Emater/RS-Ascar. “Tudo o que recebemos investimos na horta mesmo e, futuramente, queremos implantar um sistema de irrigação”, afirma Josene. O bom exemplo da escola Assunção, especialmente no que se refere ao trabalho cooperativo, em formato de mutirão, com divisão de tarefas e pleno respeito à terra, poderá, futuramente, chegar a outras instituições de ensino de Taquari. “É a nossa intenção”, finaliza Ana Cláudia.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...