Estado posterga término de acessos no Vale

O anúncio da liberação de R$ 53,9 milhões para a pavimentação de acessos asfálticos, sem a inclusão de demandas regionais, frustrou líderes locais. Pelo menos, seis trechos em municípios do Vale do Taquari aguardam investimentos do Daer. As vias beneficiadas pelos recursos indicados na última semana favorecem municípios do norte e noroeste gaúchos.

Sério está entre os municípios atendidos pela 11ª Superintendência do Daer, sem acesso asfáltico. Uma das melhores opções para chegar ao município é pela ERS-421, onde 4,5 quilômetros de pavimentação estão pendentes entre a sede e Forquetinha. A via, segundo o vice-prefeito, Paulinho Aroldi, está incluída em uma rota colonial e depende ainda de outros 20,5 quilômetros de asfalto, considerando as demandas em Boqueirão do Leão.

De acordo com Aroldi, os investimentos trariam resultados positivos para moradores dos municípios e serviriam de atrativo para investimentos e geração de renda. Além de reduzir os custos do transporte de insumos no setor primário, a media ajudaria no desenvolvimento do turismo local.
O município tem investido nos serviços, aproveitando suas características naturais. Para viabilizar os recursos, o movimento de cidades vizinhas e outras regiões é indicado como essencial pelo gestor público. “Não temos que mensurar o público que deixa de vir devido à falta de acesso, mas ainda conseguimos trabalhar. Dificulta um pouco, pela falta de infraestrutura.”

A administração, afirma, tem mantido contato com o representantes do Executivo gaúcho para tentar viabilizar o andamento da pavimentação durante a gestão estadual. De acordo com Aroldi, apesar do apoio de entidades e organizações regionais, as demandas deveriam ser corroboradas por municípios considerados maiores. Com isso, afirma, garantiriam renda, fluxo de pessoas e a continuidade da atividade rural.

Problemas regionais

Além da ERS-421, a RS-482, entre Arroio do Meio e Capitão, aguarda faz 17 anos a continuidade da pavimentação dos 16,5 quilômetros da via. Situação semelhante ocorre na ERS-425, entre Coqueiro Baixo e Nova Bréscia, e na VRS-811, entre Travesseiro e Arroio do Meio. Duzentos metros da pavimentação da ERS-424 também estão parados devidos a readequações do projeto. Até o fechamento, o Daer não havia respondido quanto ao andamento das obras na abrangência da 11ª Superintendência.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...