Escritório regional da Emater/RS-Ascar de Lajeado realiza balanço de atividades

A diretoria da Emater/RS esteve reunida com os empregados da Instituição na última sexta-feira, dia 12, no salão de eventos da Lagoa da Harmonia, em Teutônia, para apresentação de um balanço das atividades realizadas nos últimos quatro anos, período em que o presidente Lino De David esteve à frente da Instituição. De David esteve acompanhado dos diretores técnico e administrativo, Gervásio Paulus e Jaime Weber, dos gerentes regionais Luiz Bernardi e Diego Barden dos Santos e do coordenador regional da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Mauro Stein.

Próximo de concluir sua gestão – no início do próximo ano deve ser empossada nova equipe de Governo – o presidente da Emater/RS avaliou como positivo o trabalho de extensão rural realizado desde 2011, fruto de um projeto político que criou a SDR e que beneficia não apenas os produtores rurais, mas toda a sociedade. “Desde o início daquele ano foi necessária ousadia para pensar na reestruturação da Emater/RS-Ascar e da capacidade de levar as políticas públicas diretamente à casa de agricultores familiares, indígenas, quilombolas, pescadores artesanais e famílias em vulnerabilidade social”, analisou.

Para De David, a ousadia não foi exclusividade apenas do Governo do Estado ou da Presidência. “A atividade no campo, no dia-a-dia, olhando nos olhos dos agricultores, trabalhando por eles, é o que garante a imagem e a credibilidade de nossa Instituição e isso quem faz são vocês e não nós”, salientou, referindo-se aos mais de 150 empregados presentes no local do evento. E foi essa mudança, de acordo com o presidente, que deu respaldo junto à sociedade para que a Instituição se fortalecesse. “Não à toa, o nosso orçamento para 2015 será de R$ 210 milhões, o que garantirá a continuidade do trabalho”, enfatizou.

“Isso tudo se faz porque temos a convicção de que a agricultura familiar tem um papel determinante na produção de alimentos e no desenvolvimento sustentável do meio rural”, ressalta De David. Para o presidente, a extensão rural, assim como qualquer outra política de Estado – esteja ela relacionada as áreas da saúde, da educação e da segurança pública -, é de fundamental importância. “E isto é fundamental para que se faça chegar ao agricultor também as outras políticas públicas de acompanhamento permanente, de apoio e de extensão rural efetiva, e que vão muito além de ministrar cursos ou oficinas”, abordou De David.

Por fim, De David disse sentir orgulho por vários motivos, e que vão muito além dos mais de 1.180 novos empregados contratados e mais de 950 veículos incorporados a frota, fora os computadores, GPS e outros equipamentos para desenvolvimento das atividades de extensão rural pela Instituição. “Números como os R$ 4,6 bilhões de crédito para investimentos disponibilizados para os agricultores e que reestruturam a propriedade rural, somados aos 78 mil laudos de perícia de Proagro, que significam mais de R$ 1 bilhão em indenizações para famílias de produtores fragilizadas, já nos fazem ter a sensação de dever cumprido”, disse.

Em relação a região administrativa de Lajeado – composta pelos 55 municípios dos vales do Caí e Taquari – o balanço dos quatro anos de gestão também foi positivo. Bernardi reconheceu o empenho das equipes municipais ao afirmar que, somente no último ano, foram atendidas pela política de assistência técnica e extensão rural mais de 20 mil famílias de produtores. “E isto possibilitou levar outros programas de Governo, como o Leite Gaúcho, o de Agricultura de Base Ecológica, o RS Pesca e Aquicultura e o Irrigando a Agricultura Familiar, diretamente para a propriedade dos agricultores, o que representou o fortalecimento da produção rural nesse período”, avaliou.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...