Erva-mate é tema de Dia de Campo em Arvorezinha

Mais de 350 pessoas estiveram reunidas na sexta-feira, dia 12, na propriedade da família Gasparin, na localidade de Linha São Lourenço, em Arvorezinha, para um Dia de Campo sobre Erva-Mate. O evento – parte da 7ª edição da Femate, que se encerrou no domingo, dia 14 – teve seis estações, com os temas saneamento e embelezamento da propriedade; proteção de fontes e de matas ciliares e Novo Código Florestal; produção de mudas de erva-mate; podas e adubação; cobertura de solo e manejo de invasoras dos ervais e controle de pragas e doenças.

Entre os participantes estava o produtor Cláudio Santin, de Anta Gorda. Em sua propriedade, no distrito de Itapuca, possui 35 mil pés da planta, que tem o nome científico de Ilex paraguariensis, distribuídos em uma área de 10 hectares. A cada dois anos são colhidos no local, de acordo com Santin, 12 mil arrobas da planta que vai parar na cuia dos gaúchos apreciadores de chimarrão. A boa produtividade é fruto de um trabalho de melhoria que começou no ano de 1995. “Por meio de análises, pudemos qualificar o manejo nutricional dos ervais”, observa.

Com o processo sendo qualificado a cada ano – também nas partes da genética da planta e de manejo do solo -, o resultado, de acordo com Santin, é uma erva-mate mais suave. “E o povo daqui gosta dessa característica”, diz. “Hoje recebo cerca de R$ 14 pela arroba, mas sei que esse valor pode chegar próximo dos R$ 20”, afirma. Como parte integrante do processo, não abre mão de participar de cursos e capacitações sobre o tema. “Hoje em dia, com tantas inovações tecnológicas, o produtor rural não pode ficar estagnado e nem achar que é perda de tempo participar de atividades do tipo”, garante.

Para o produtor Nésio Cichelero, da localidade de Linha São José, em Arvorezinha, a erva-mate não chega a ser o principal produto da propriedade – ficando atrás da bovinocultura de leite –, mas possui boa representatividade. No erval de Cichelero são 15 mil pés, distribuídos em cinco hectares. A produtividade é de cinco mil arrobas a cada dois anos, que são comercializadas para uma ervateira da região, por R$ 15 cada. “O que prezo no meu erval é a cobertura vegetal, fundamental para que tenha plantas sadias e com boa nutrição”, ressalta o produtor, que tem mais de 20 anos de experiência na área.

Como parte dos cuidados, costuma fazer análises de solo a cada quatro ou cinco anos, para que haja uma boa correção de nutrientes. Nesse sentido, Cichelero valorizou os temas do Dia de Campo. “Às vezes é bom dar uma resgatada em alguns assuntos que são deixados meio de lado por nós”, contemporizou. Sobre o mercado da erva-mate, o agricultor acredita que a situação possa melhorar, destacando que a diminuição do preço pago ao produtor – que antes recebia cerca de R$ 30 por arroba – ainda não pode ser observada nas prateleiras do mercado. “O que faz com que a erva-mate fique em segundo plano pelos consumidores”, analisa.

De acordo com o técnico da Emater/RS-Ascar de Arvorezinha, Cléber Schuster, hoje, no município, são mil famílias envolvidas com a atividade. A área plantada é de 7,2 mil hectares, com uma produtividade de 50 mil toneladas ao ano. “Em pouco mais de 15 anos, houve um crescimento de cerca de dois mil hectares de área plantada, o que torna Arvorezinha o segundo maior produtor do Estado”, ressalta. Além dos produtores, são 12 viveiristas trabalhando no município. “Fora as 16 ervateiras que estão aqui e que absorvem a produção local”, diz Schuster, que acredita que a atividade possa se tornar ainda mais lucrativa no futuro.

Sobre o Dia de Campo, o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luiz Bernardi, valorizou o trabalho em parceria e o empenho dos empregados da Instituição, para a concretização do evento. “E a nossa estrutura está à disposição também para isso, para levar da melhor maneira possível os conhecimentos até os agricultores”, disse. A atividade contou com a participação de outras lideranças, como o prefeito de Arvorezinha, Luiz Paulo Fontana, e o presidente da Femate, Jonas Dall Agnol. Por ocasião da Femate, também foram realizadas outras atividades com o tema da erva-mate, como o Seminário “A erva-mate e seus benefícios a saúde”, que ocorreu no sábado, dia 13, no Palco 2 do Parque Municipal de Eventos.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...