Enxertia e poda verde em videiras são temas de Dia de Campo em Dois Lajeados

A Emater/RS-Ascar e a Embrapa Uva e Vinho realizaram, na última quinta-feira, dia 12, um Dia de Campo sobre enxertia e poda verde em videiras. A atividade, acompanhada por cerca de 70 agricultores dos municípios de Dois Lajeados e Muçum, foi realizada na propriedade do agricultor Azis Ferrari, da localidade de Linha Emília, em Dois Lajeados. Na ocasião, foram disponibilizadas duas estações com os temas “Enxertia verde na videira”, ministrada pelo analista da Embrapa Uva e Vinho, Daniel Grohs, e “Manejo da copa e poda verde”, apresentada pelo técnico Roque Zílio, da mesma entidade.

Manejo integrado das doenças da videira, qualidade de mudas e opções de cultivares desenvolvidas pela Embrapa também foram tratados por meio de materiais entregues aos agricultores. Para o anfitrião, foi uma grande satisfação poder receber um grupo grande de produtores para trocas de experiências e aquisição de conhecimentos. Ainda que já esteja na atividade desde 1992, Ferrari garante sempre ter o que aprender e melhorar. “O manejo da uva tem algumas exigências que obrigam o produtor a se qualificar para não ficar pra trás”, analisa.

Com cinco hectares de área em produção, Ferrari colhe por safra cerca de 150 toneladas de frutos, que são vendidos para três cantinas da Serra Gaúcha. Além de uvas, o agricultor possui cinco hectares de milho para silagem, também comercializados, na propriedade que divide com a esposa, filha e mãe. “Posso dizer que estou satisfeito, apesar das dificuldades enfrentadas nesse ano em razão do clima”, salienta o agricultor, que antes de retornar à propriedade dos pais trabalhava como “peão”, como ele mesmo define, para outro produtor.

O agricultor Cláudio Zanotelli, da Linha 20 de Setembro, em Muçum, também se queixa das condições climáticas desse ano – com períodos de muita chuva, intercalados com dias frios e de calor. Ainda assim, não desanima. Na última safra colheu cerca de 15 toneladas de uvas Bordô e Francesa, variedades que cultiva em uma área de um hectare. “Para este ano plantei mais meio hectare e penso que posso ir crescendo daqui para frente”, projeta o produtor, que recebe uma média de R$ 0,90 por quilo da fruta.

Ainda que os produtores estejam animados com a manutenção de suas videiras, um levantamento recente feito com o apoio da Emater/RS-Ascar constatou a redução da área plantada e do número de agricultores envolvidos com a atividade nos últimos anos. “Em 2009, tínhamos 225 viticultores e uma área plantada de 800 hectares”, recorda o técnico agrícola da Instituição, Jorge Capellaro. Hoje, são 500 hectares e em torno de 180 produtores envolvidos com a atividade. “Muitos investiram na bovinocultura leiteira, que tem se fortalecido nos últimos anos como alternativa de renda permanente e mais segura”, ressalta.

A explicação de acordo com o supervisor regional da Emater/RS-Ascar, Cezar Burille, está nos problemas enfrentados pelos agricultores, que podem ter influenciado nessa redução. O surgimento de doenças de solo em muitas áreas, a falta de mão de obra, o atraso no pagamento das entregas pelas empresas compradores e a remuneração reduzida são apontados como fatores determinantes para essa mudança de cenário. “Dificilmente esses números voltarão a aumentar, sendo importante, por isso, qualificar os agricultores que permanecem na atividade, por meio de ações como a de hoje”, finaliza Burille.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...