Entidades empresariais e de trabalhadores aderem à campanha de combate ao Aedes aegypti

Entidades de classe e sindicatos de trabalhadores estão sendo convidados a atuar como multiplicadores da campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, zica e chikungunia. Na terça-feira, dia 19, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação realizou reunião de conscientização com representantes da CDL, Acil e do Sindicato dos Salões de Beleza do Vale do Taquari a fim de envolvê-los na divulgação das formas de prevenção e eliminação das larvas do inseto.

O supervisor da Sedei, Guilherme Engster, lembrou que todas as secretarias municipais foram incumbidas de vistoriar as áreas sob sua jurisdição, além de buscar aliados entre os seus respectivos público-alvo. O biólogo Fernando Diel, coordenador do setor de Vigilância Ambiental em Saúde, reforçou a importância de estabelecer barreiras à proliferação do mosquito, ovos e larvas, para proteger o município de infestações e de uma epidemia.

A adesão das entidades empresariais e de trabalhadores à campanha permite que os estabelecimentos comerciais e salões de beleza, por exemplo, sejam espaços de distribuição de material informativo. Participaram do encontro Antonio Juarez Silva, da Acil; Sônia Mara Pereira, do Sindicabes dos Vales e Ademir Kronbauer, da CDL.

Por enquanto, a cidade registrou três casos de dengue, sendo um deles autóctone, quando é adquirido na própria região. Em 2013, 2014 e 2015, foram encontrados dois, 25 e 15 focos de larvas do mosquito, respectivamente. Este ano não há registro de casos da doença ou focos. Diel salientou que as mudanças climáticas, com elevadas temperaturas no inverno, facilitam a propagação do vetor da dengue. “O frio mata o mosquito e a larva, mas o ovo do mosquito pode sobreviver por mais de 500 dias em estado de quiescência, com o metabolismo zerado”, advertiu.

A maior dificuldade encontrada pelos agentes de vigilância ambiental refere-se à realização de vistorias e medidas preventivas em propriedades abandonas e fechadas. A regulamentação da Lei 9.586, que institui o Programa Municipal de Combate à Dengue e que definirá a aplicação de multas, o valor da penalidade e o responsável por receber recursos às infrações, permitirá ao poder público notificar, advertir e multar os responsáveis.

Medidas

Recentemente, a Secretaria da Saúde de Lajeado reforçou o conjunto de medidas de combate ao Aedes. Entre elas, o corte do período de férias dos agentes epidemiológicos por 90 dias, a fim de reforçar a fiscalização durante os meses de verão, e a contratação de mais três profissionais.

Além disso, os 86 agentes comunitários de saúde passaram a vistoriar os imóveis das famílias visitadas, ação prevista pela Portaria nº 2121, editada em dezembro pelo Ministério da Saúde. As residências que estiverem quites com as medidas de prevenção receberão um certificado adesivado comprovando esta situação. Casos de positividade da presença de larvas do mosquito serão encaminhados aos agentes epidemiológicos para averiguação.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...