Energia da AES Sul encarece mais 39,5%

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou na tarde da última sexta-feira, dia 27 de fevereiro, a Revisão Tarifária Extraordinária (RTE) de 58 concessionárias brasileira. Na região, a medida trará reflexos aos preços da AES Sul, cujo aumento médio chega a 39,5%, o maior percentual em todo o país. Os novos índices valem a partir desta segunda-feira, dia 2.

A metodologia empregada na revisão foi discutida por meio de audiência pública e, segundo a Aneel, tem por objetivo reposicionar os dois itens em que havia maior distanciamento entre os custos efetivos e a cobertura tarifária: a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e os custos com compra de energia.

Com relação à CDE, houve elevação substancial da cota (de R$ 1,7 bilhão em 2014 para R$ 22,06 bilhões em 2015), motivando a necessidade de reconhecer a cobertura tarifária compatível com as cotas homologadas. Em todo o país, o aumento médio das contas de luz chega a 23,4%.

No que tange aos consumidores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a elevação média é de 28,7%. O percentual é 4,5 vezes maior que o aplicado nos estados do Norte e Nordeste, onde a média de aumento chega a 5,5%.

De acordo com a Aneel, essa diferença decorre do fato de os consumidores das três primeiras regiões terem mais custos para cobrir. Um dos exemplos é a geração hidrelétrica de Itaipu, que atende todo o território brasileiro e foi reajustada em quase 50% neste ano, mas que é repassada apenas às contas dos moradores do Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

Bandeiras tarifárias também sobem

Também na sexta-feira, a Aneel aprovou novos valores para as bandeiras tarifárias. Eles começam a valer nesta segunda-feira. Assim, o preço para a bandeira amarela passa de R$ 1,5 a cada 00 quilowatts (kWh) consumidos para R$ 2,5.

Em relação à vermelha, o adicional é ainda maior. Passa de R$ 3 para R$ 5,5. No caso da bandeira verde, não há cobrança. A agência definiu ainda que as permissionárias, que até então não tinham aplicação da bandeira tarifária, começam a cobrar o adicional a partir de julho. Neste grupo se inclui a Certel Energia.

O sistema de bandeiras, que entrou em vigor no começo deste ano, permite a cobrança de um valor extra na conta de acordo com o custo de geração. Desde então, está sendo aplicada a vermelha, a mesma que deve ser adotada em março devido ao uso intenso da energia das usinas termoelétricas.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...