Encontro possibilita intercâmbio entre o Vale do Taquari e países africanos

Um encontro que poderá gerar frutos. Assim ficou definida a recepção que missão africana teve na cidade polo do Vale do Taquari, domingo, dia 9. Grupo com cerca de 60 integrantes que viajava com destino a Não-Me-Toque, para visitar a Feira Expodireto Cotrijal, fez uma parada na Univates, para conhecer um pouco da região e suas potencialidades. “Fantástica esta iniciativa da Prefeitura, de estabelecer Lajeado como parada para estas comitivas estrangeiras que visitam esta feira, considerada uma das maiores do setor agrícola”, destacou Oreno Ardêmio Heineck, presidente da Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT).

O encontro, realizado no auditório do prédio 9 da Univates, foi uma iniciativa do Governo de Lajeado e da Câmara de Comércio Afro-Brasileiro (Afrochamber, sigla em inglês), representada pelo seu presidente Abel Domingos. Participaram da comitiva embaixadores, ministros e empresários de 26 países do continente africano. Também acompanhavam o grupo pessoas de nacionalidades chinesa, polonesa, alemã, russa, argentina e uruguaia.

O prefeito Luis Fernando Schimdt, que recepcionou a missão, ao lado do vice Vilsinho Jacques Filho, de secretários e vereadores, afirmou que o governo municipal tem trabalhado sob a lógica do Governo Federal. Citou as políticas públicas que têm melhorado os níveis de emprego e a distribuição de renda no país, propiciando à parcela da população o acesso a bens de consumo básicos. “Além disso, estamos estimulando e propagando as relações entre os povos. Enxergamos a necessidade de agirmos como um bloco, com forma de auxiliar nosso crescimento econômico e social.”

Vários empresários da região acompanharam o encontro, caso do presidente da Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil), Ronaldo Zarpellon.

O Vale

As potencialidades econômicas da região foram apresentadas pela presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat). Cíntia Agostini observou o caráter inovador, empreendedor e diversificado do setor, na abrangência dos 36 municípios que integram a organização, com destaque para a produção avícola e suinícola. Citou a 17ª posição de Lajeado no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no Estado, divulgado no ano passado. No Brasil, se encontra na 145ª posição.

Com expectativa de vida acima de 74 anos, conforme Cíntia, a região tem baixo índice de analfabetismo – 2,69% para 4,5% no Rio Grande do Sul. A presidente do Condevat citou, ainda a importância do Vale no Produto Interno Bruto (PIB), representando 3,03% do Estado. Lajeado representa 26,38% da região. O PIB percapita da cidade polo do Vale ultrapassa a R$ 31 mil ao ano.

Oreno Heineck reforçou o interesse do empresariado em expandir seus negócios. Afirmou que Lajeado é o município polo de uma região que trabalha unida, com visão de desenvolvimento regional. Citou a entidade que preside, a CIC-VT, que integra 19 associações empresariais e mais de 3,5 mil empresas de pequeno, médio e grande portes. “Destas, pouco mais de 30 empresas mantém relações de negócios em outros países”. No Vale, Lajeado foi responsável pro 30,6% das exportações. Também observou que, geograficamente, o Vale do Taquari está muito bem posicionada no Rio Grande do Sul.

Frente à exposição, Abel Domingos enfatizou a possibilidade de realizar negócios no Vale do Taquari, principalmente por empresários e governos africanos que desejarem incrementar as relações comerciais com o Brasil. Durante o almoço, que antecipou as explanações, ele, Heineck e Rui Mucaje, diretor da Afrochamber, trocaram informações e telefones para futuras conversações. Também foi sugerido a realização de um seminário, em Lajeado, sobre os países africanos. “Prefeitura, CIC-VT e Acil precisam manter esta iniciativa de intercâmbio”, concluiu Heineck.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...