Encontro em Lajeado marca primeiro aniversário de associação de meliponicultores

Um encontro realizado no último sábado, dia 11, no auditório do Jardim Botânico de Lajeado, celebrou o primeiro aniversário da Associação de Meliponicultores do Vale do Alto Taquari (Amevat), fundada no dia 05 de abril de 2014. Na ocasião, o presidente da entidade, Hugo Schmidt, fez um balanço do primeiro ano de atividades da Associação, única no Estado a ter como objetivo geral o trabalho pela preservação das abelhas nativas sem ferrão. “A nossa intenção é seguir divulgando as ações da Associação, já que ainda há muita carência de informações sobre o tema”, ressaltou Schmidt.

Atualmente com cerca de 90 associados, de mais de 30 municípios do Rio Grande do Sul, a Amevat busca congregar criadores para o intercâmbio de informações; realizar palestras, cursos, reuniões, seminários e conferências; promover o intercâmbio com outras instituições; colaborar com a vigilância sanitária, adotando boas práticas nos meliponários; gerar renda para as famílias envolvidas e defender direitos e interesses dos envolvidos. “Além de zelar pela boa qualidade do mel e contribuir para a legalização da criação e da comercialização do mel de abelhas nativas sem ferrão, um de nossos maiores desafios”, enfatizou o presidente.

Durante o encontro também foram estabelecidas metas a serem cumpridas pela entidade daqui pra frente, estando entre elas a criação de um site para divulgação de informações; a edição de um manual com boas práticas de fabricação desde a colocação das caixas, passando pela colheita até chegar ao envase e a confecção de um rótulo que possa facilitar a comercialização por parte dos produtores. “Também a caixa deverá ser padronizada, já que isso representará um avanço em termos de qualidade para o produto”, atesta o assistente técnico regional em Apicultura da Emater/RS-Ascar, engenheiro agrônomo Paulo Conrad.

Também ficou definida para o dia 24 de outubro, a realização do Seminário Estadual de Meliponicultura, que ocorrerá em Arroio do Meio, na localidade de São Caetano. “Outras excursões e visitas técnicas para conhecer diferentes realidades, também serão organizadas pela Associação”, observa Conrad. A criação de um entreposto para processamento do mel também foi pauta da reunião. Ao final do encontro, os participantes puderam saborear uma cerveja elaborada pelo cervejeiro Sidnei Schmidt, que utilizou mel de abelha nativa Jataí na produção da bebida.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...