Empresários veem como única alternativa de desenvolvimento a implantação do pedágio, que precisa ser considerada um investimento e não um custo

“ O RS vive um momento histórico, pois temos a oportunidade de duplicar a BR 386, uma rodovia que existe há mais de meio século”. A afirmação é do voluntário da Agenda 2020 e vice-presidente da Associação Brasileira de Logística (Abralog), Paulo Menzel que participou de um café da manhã, promovido pela Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC VT). O evento foi realizado na manhã desta segunda-feira, dia 10 de abril, na sede da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Arroio do Meio (Acisam).
De acordo com Menzel, o custo logístico vem crescendo no Rio Grande do Sul. Em 2005, era de 16%, já em 2016, pulou para 20,25%. É maior do que o custo brasileiro. “ Cada gaúcho pagou em 2016 de custo logístico 20,25% do PIB, enquanto que em países desenvolvidos chega a 6%.
Ele defendeu que uma rodovia com pedágio é um investimento que pode baixar o custo de transporte. Sem essa concessão, o Estado todo perde produtividade, tempo e competitividade. Menzel elogiou a mobilização local e estadual para a implantação de um plano de concessão que possa garantir o desenvolvimento e crescimento do RS com tarifas justas. O vice-presidente garantiu que as 10 melhores estradas do Brasil são pedagiadas.
Paulo lamenta que o Brasil produz e desperdiça muito na estrada, na fila do caminhão e pela falta de silos. “ Da porteira para fora até o porto perdemos o equivalente ao consumo anual da Índia, porque não temos infraestrutura.”
Segundo o presidente da CIC VT, Ito José Lanius, o evento foi promovido para que a região possa acertar o máximo possível nas decisões sobre o edital. “ Nós queremos alinhar as informações, para que a proposta de manifestação de interesses (PMI) da concessão da BR 386 seja a mais eficiente.”
Menzel acredita que o RS está numa encruzilhada e precisa decidir se age ou se pede a retirada da BR 386 no plano de concessão. Ele encerrou o evento com a seguinte frase:
“ Há os que se queixam do vento. Os que esperam que ele mude. E os que procuram ajustar as velas.” Willian G. Wardi

Fonte Simone Wobeto- Assessoria de Imprensa CIC VT

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...