Emater realiza trabalho de Sistematização de Experiências na região

Registrar, organizar e socializar as ações realizadas com o envolvimento de produtores rurais e extensionistas da Emater/RS-Ascar são alguns dos objetivos do trabalho de Sistematização de Experiências, realizado pela Instituição desde o início deste ano, em todo o estado. Por meio da atividade, pretende-se fazer um resgate das ações de assistência técnica e extensão rural, transformando-as em documento, que servirá como referência para qualquer interessado.

Nos municípios que compõem o escritório regional de Lajeado, serão sete as experiências sistematizadas – uma em cada uma das seis microrregiões e mais com abrangência regional. Os temas abordados serão: propriedade referência em leite em Santa Clara do Sul; crédito rural e sucessão familiar em Westfália; piscicultura em Roca Sales; cooperativismo em Arvorezinha; segurança alimentar em Tupandi; cultivo de morango em bancada em Bom Princípio e ações de desenvolvimento territorial no Vale do Caí.

Um dos integrantes do grupo gestor em Sistematização de Experiências, gerente adjunto da Emater/RS-Ascar Diego Barden dos Santos, ressalta que o processo visa a, entre outros, formar um banco de dados sobre as ações desenvolvidas no campo, que possam contribuir para o desenvolvimento rural sustentável e para a construção do conhecimento. Para o adjunto há uma diversidade muito grande de ações e de experiências realizadas em cada um dos municípios gaúchos. “Mas muitas se perdem por falta de registros”, salienta.

As experiências podem ser as mais variadas, podendo envolver desde ações socioassistenciais, até casos bem sucedidos de uso das políticas de crédito. Temas como cooperativismo, transição agroecológica, sucessão familiar, experiências como programas da Secretaria de Desenvlvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS), agroindustrialização, inclusão social e produtiva e segurança alimentar, também deverão ser abordados no processo, que terá continuidade nos próximos anos.

Um dos diferenciais do trabalho é a participação direta dos atores sociais envolvidos – entre eles produtores, parceiros de outras instituições e prefeituras. Foi o que ocorreu na última semana, no município de Westfália. Na ocasião, vinte produtores do município participaram de uma rodada com perguntas orientadoras, onde puderam explicitar detalhes a respeito do bom uso das políticas de crédito e de como estas modificaram o seu sistema de produção e a sua vida. As respostas foram as mais variadas, positivas, ou não. “É um material dotado de grande riqueza e que servirá de base para a nossa sistematização”, afirmou o chefe do escritório da Emater/RS-Ascar de Westfália, técnico agrícola Marcelo Müller.

Até o final do ano serão diversas as oficinas e reuniões, que culminarão em seminários regionais e estaduais para divulgação das experiências sistematizadas. Ao final, todas as experiências serão publicadas no site da Emater/RS-Ascar em outras publicações.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...