Em Teutônia, mais de 70% dos atendimentos dos bombeiros estão relacionados a acidentes de trabalho

No dia 17 de outubro a CIC Teutônia, com o apoio da Unimed e do Corpo de Bombeiros Voluntários de Teutônia, promoveu palestra gratuita sobre segurança no trabalho. O evento contou com a participação de mais de 100 pessoas, oportunidade em que foram destacados indicadores de acidentes de trabalho de Teutônia e como minimizar esses acidentes, com foco na discussão e conscientização dos trabalhadores e empresários, considerando que a temática influencia na saúde pessoal e financeira de todos os envolvidos.

Os palestrantes foram a médica do trabalho Cláudia Balico, o engenheiro de segurança no trabalho Ricardo Nicolau e o presidente do Corpo de Bombeiros Voluntários de Teutônia, Markyson Marques Royer. A ação atendeu demanda apresentada pela Diretoria de Infraestrutura da CIC.

                Estatísticas

                Cláudia Balico e Ricardo Nicolau apresentaram conceitos, caracterização, direitos, deveres e estatísticas relacionadas aos acidentes de trabalho. Com exemplos de casos reais, a médica do trabalho comentou sobre diferentes situações e trouxe dicas para a segurança do trabalhador.

                Nicolau apresentou mais números, com destaque para a incidência de acidentes no ramo calçadista. “O maior número de registros de acidente de trabalho em Teutônia ocorre na fabricação de calçados com material sintético. Na natureza de lesão, lideram as estatísticas o corte e a laceração. No Brasil e no Rio Grande do Sul, a atividade econômica com maior incidência de acidentes de trabalho está no atendimento hospitalar”, apresentou, acrescentando que esses dados variam conforme a atividade econômica regional.

                O engenheiro de segurança no trabalho ressaltou que para cada acidente registrado, há mais sete casos não registrados. Também alertou para fatores potenciais para acidentes e dicas de prevenção, especialmente o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “Acidentes de trabalho matam mais que homicídios no Brasil. Todos os trabalhadores devem ser conhecedores dos riscos aos quais estão expostos e a forma segura de trabalho. A melhor maneira de evitar acidentes é investir na prevenção, na conscientização e na motivação dos trabalhadores e empregadores quanto à importância da realização de qualquer trabalho de forma segura”, chamou atenção.

                Valor da vida

                “Qual o valor da nossa vida? Todos precisamos voltar para casa, por isso, quem mais deve cuidar da gente somos nós mesmos. Muitas vezes um pequeno descuido pode ser fatal. Cuidem da vida de vocês, não dependam dos outros ou do governo”, pediu, em tom de desabafo, o presidente do Corpo de Bombeiros Voluntários de Teutônia, Markyson Marques Royer.

                “No nosso dia a dia vemos o sofrimento das pessoas após um acidente de trabalho. Não podemos considerar apenas números, mas sim o quanto toda família sofre com acidentes que podem ser evitados. Nossa corporação conta com 66 bombeiros voluntários, que atendem quatro municípios, totalizando 45 mil pessoas. Nossa infraestrutura não dá conta de atender toda a demanda”, lamentou.

Das 3,5 mil ocorrências atendidas pela corporação entre 2016 e 2018, mais de 70% estão relacionadas a acidentes de trabalho. Entre as principais causas estão a falta de uso de EPIs, uso inadequado de equipamentos e EPIs, falta de treinamento, irresponsabilidade e tempo. “Trabalhamos na prevenção diariamente, pois acreditamos que, enquanto os bombeiros atenderem um número elevado de ocorrências, é porque algo não está funcionando em nossa região”, concluiu.

Fonte Leandro Augusto Hamester

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...