Edital prevê R$ 56 mi para nova ponte no Rio Taquari

Obra iniciaria depois de 16 anos do início da concessão na BR-386

O grupo de trabalho formado por líderes dos vales do Taquari, Caí e Alto do Botucaraí esteve reunido ontem, em Brasília. Eles participaram de reuniões com integrantes da ANTT, da Empresa Pública de Logística (EPL) – responsável pelo projeto de concessão – e do Ministério dos Transportes. Cenário prevê mudanças de locais das praças da BR-386, e confirma nova ponte sobre o Taquari.

De acordo com a minuta do edital de concessão, o “alargamento da ponte sobre o Rio Taquari” custaria em torno de R$ 56 milhões. A obra, conforme o cronograma pré-estabelecido, iniciaria só a partir do 16º ano de contrato, com prazo de dois anos para ser finalizada. A estrutura faria parte da proposta de construir vias marginais entre Lajeado e Estrela.

“Tivemos acesso aos detalhes do edital. O alargamento da ponte com a construção de mais faixas na BR-386 já estava no projeto. Eu vi todas as pontes listadas e previstas. Estão todas lá”, resume a presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Cintia Agostini, que participou do encontro de ontem.

Segundo Cintia, os R$ 56 milhões já estão reservados para a construção da nova ponte. No entanto, a obra só permanece no cronograma se forem mantidas as quatro praças de pedágios na BR-386. Essas estão previstas para Montenegro (R$ 7), Fazenda Vilanova (R$ 11), Soledade (R$ 9,50) e Tio Hugo (R$ 8,60).

“Será muito difícil extinguir uma das quatro praças na BR-386. A nossa ideia é aumentar a distância entre os pontos de Soledade e Tio Hugo, aproximando a concessão da cidade de Iraí. Já a sugestão de instalar uma na BR-448 foi descartada, pois muitos optariam pela BR-116”, diz Cintia. “A cobrança na Rodovia do Parque pouco influenciaria na diluição das demais tarifas”, complementa.

Segunda ponte tem quase 16 anos

A ligação entre Estrela e Lajeado tinha só uma ponte até setembro de 2001. Naquele mês, o então ministro dos Transportes, Eliseu Padilha, inaugurou a segunda travessia sobre o Taquari. A obra iniciou em maio de 1998 e custou R$ 8 milhões. O empreendimento foi todo custeado pela União. Já a primeira ponte foi construída entre as décadas de 60 e 70, e reconstruída em 1995.

Prazo maior para duplicação
Durante as últimas audiências realizadas no estado, a ANTT acenou com a possibilidade de realizar a duplicação de 160 quilômetros da BR-386 – entre Lajeado e Carazinho – entre o terceiro e o oitavo ano. No entanto, explica Cintia, isso causaria aumento “considerável” nos valores já previstos para as tarifas nas quatro praças da rodovia federal.

Diante disso, a nova proposta prevê concluir a duplicação entre o terceiro e o 12º ano de concessão. “Em vez de duplicar o trecho em cinco ou seis anos, a ideia é concluir em até cez anos. Dessa forma, conseguiremos diluir bastante os valores das tarifas em todas as quatro praças. Além disso, as principais obras não encerrariam no 15º ano. E, sim, no 18º”, explica a presidente do Codevat.

O grupo também debateu sobre o prazo de concessão. De acordo com a minuta do edital, são 30 anos renováveis por mais três décadas. Cintia afirma que a ANTT não cogita alterar essa modulagem, sob risco de comprometer todas as obras e manutenção previstas no pré-contrato. “Também nos informaram que o governo federal não vai gastar nada. É tudo com a concessionária.”
Novas reuniões
A ANTT prorrogou o prazo de discussão sobre o edital até o dia 1º de maio. O grupo de trabalho participa de nova reunião em Brasília no dia 19, mesma data prevista para uma audiência pública organizada pela Assembleia Legislativa do Estado, programada para ocorrer no Teatro da Univates, em Lajeado.

Desde fevereiro, a agência nacional apresentou todo o estudo em quatro audiências no estado, uma em Brasília e outra na cidade de São João do Sul (SC). Os técnicos e servidores também visitaram empresários e investidores na Europa, Estados Unidos, Japão, Canadá e na China. O projeto inicial prevê R$ 7,8 bilhões em investimentos durante 30 anos de contrato.

Fonte Jornal A Hora

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...