Diretoria do Badesul visita obras da Hidrelétrica Cazuza Ferreira

As obras de construção da Hidrelétrica Cazuza Ferreira, no interior de São Francisco de Paula, foram visitadas, no dia 24 de abril, por lideranças locais e estaduais. O empreendimento, que tem como sócios a Certel de Teutônia, a Coprel de Ibirubá e a Geopar de Porto Alegre, já está 70% concluído e a previsão de início da operação comercial é março de 2016. Com baixo impacto ambiental, a usina está sendo instalada no Rio Lajeado Grande, no Distrito de Cazuza Ferreira, próximo a Caxias do Sul, e terá potência instalada de 9,1 megawatts, capaz de gerar energia limpa para 27 mil pessoas.

Entre os visitantes, estiveram diretores do Badesul, agência de fomento vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, que está financiando a construção da usina. O diretor de operações, Luis Felipe Maldaner, esteve acompanhado do superintendente de operações dos setores tradicionais, Ildo Fernando Meneghetti, do técnico em desenvolvimento e contador, Marcelo Sant’Ana Soares, e do advogado, Miguel Pohlmann.

A Prefeitura de São Francisco de Paula esteve representada pelos secretários de administração, Marcos Davi Kirsch, e de proteção ambiental, Flávio Leandro Prestes Alves, e a Câmara de Vereadores, pelo presidente Alexandre Bossle Camelo. Já pela Associação Pró-Desenvolvimento de Cazuza Ferreira, estiveram o presidente, Erni Bento da Silva, e o primeiro tesoureiro, Vicelmo Munereth Rossi. O CTG Rodeio Serrano esteve representado por Canderói Pinto de Quadros.

Histórico

Em sua saudação, o presidente da Certel, Erineo José Hennemann, acompanhado do vice, Egon Édio Hoerlle, demais gestores e colaboradores, salientou que esta é a quarta hidrelétrica da cooperativa, resgatando o histórico de estudos e estratégias para a concretização do projeto hidrelétrico. “Muitas pessoas foram fundamentais para que transformássemos em realidade este antigo sonho, que iniciou em 1989. Lideranças cooperativistas como o ex-presidente da Certaja, o saudoso Frederico Arnt Bavaresco, deram uma importante contribuição neste sentido”, afirmou.

Créditos de carbono

O diretor de geração da Certel, Julio Cesar Salecker, destacou que as obras físicas iniciaram em julho de 2014, e que o investimento ultrapassa R$ 34 milhões. Disse que a usina será enquadrada como Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, com certificação da Organização das Nações Unidas (ONU), por recuperar créditos de carbono. Quanto ao controle físico da obra, frisou que já estão concluídos 75% da escavação, 69% das formas, 57% das ferragens e 59% da concretagem.

Salecker ressaltou a beleza da cascata de 90 metros existente no local, que não sofrerá nenhum dano com a hidrelétrica e poderá estimular o turismo. Também sublinhou o pioneirismo dos antigos moradores da localidade que, no passado, construíram, a base de pá e picareta, uma pequena usina de 150 kilowatts que atendia Cazuza Ferreira, hoje desativada.

Merecimento

“Um empreendimento desta magnitude mostra o quão forte é o cooperativismo de infraestrutura, representado aqui pelas cooperativas Certel e Coprel”, assinalou Maldaner. Para o diretor de operações do Badesul, a população de Cazuza Ferreira merece o que está acontecendo por todo o histórico de lutas, e isso faz a diferença de um povo. “Uma obra com esse nível de seriedade e empreendedorismo é motivo de orgulho para nós, do Badesul, pois a geração de ICMS da usina reverterá num enorme benefício à comunidade”, afirmou.

Bem-vinda

Para o secretário de administração, a hidrelétrica é muito bem-vinda a São Francisco de Paula, pois agregará valor e incentivará o desenvolvimento. “Merece todo o apoio do poder público, uma vez que os impostos gerados repercutirão muito positivamente em nossa economia, o que refletirá também em melhorias no âmbito social”, enfatizou Marcos Kirsch.

Potencial hidrelétrico

Por integrar cinco bacias hidrográficas – Taquari-Antas, Mampituba, Tramandaí, Sinos e Caí –, São Francisco de Paula já conta com outras pequenas hidrelétricas instaladas em seus recursos hídricos. “Uma obra dessa magnitude e com baixíssimo impacto ambiental nos deixa muito felizes, pois trará significativa contribuição ao desenvolvimento do município e servirá como exemplo de educação ambiental”, observa Flávio Alves.

Parceria

“Vemos que aqui está se aplicando o que há de melhor em engenharia e planejamento. Logo, é gratificante estabelecermos esta parceria com a coirmã Certel”, sintetizou o engenheiro Marcos Eidt, da Coprel.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...