Direitos e deveres de consumidores e fornecedores pautam evento da CIC Teutônia

“Procon: os direitos e deveres dos fornecedores de produtos e serviços” foi tema de Café da Manhã Empresarial promovido pela CIC Teutônia no dia 17 de novembro. Na oportunidade esteve conversando com os associados da entidade teutoniense o coordenador do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon de Lajeado, Pedro Rodrigues Dourado Bezerra.

A secretária executiva da CIC Teutônia, Carina Schulte Bolfe, agradeceu a presença de todos. “Trata-se de um tema relevante, muito solicitado pelos associados. O palestrante possui grande conhecimento na área”, avaliou.

Conciliação

Em sua fala, Bezerra frisou por inúmeras vezes que “o Procon, antes de qualquer coisa, é um órgão conciliador”. Ele explicou que o trabalho da entidade está focado na informação, com orientações à cerca dos direitos do consumidor e do fornecedor. “Em qualquer que seja a relação, devemos manter a calma e procurar o diálogo, não transformando a relação de consumo numa relação de polícia. Cada um deve tomar as medidas necessárias e existem canais para solucionar os problemas”, sugeriu.

O palestrante apresentou breve histórico de defesa do consumidor e suas regras. “Antes de sermos empresários, comerciantes, industriários e prestadores de serviços, somos sempre consumidores”, enalteceu.

Bezerra também alertou para casos de propaganda enganosa. “A informação passada aos consumidores deve ser sempre adequada e clara. Expliquem, informem para evitar um problema maior. A propagada é algo que dificilmente sai da cabeça, e faz muito efeito principalmente para crianças. Ninguém pode ser prejudicado por uma informação falsa”, chamou a atenção.

A palestra contou com a efetiva participação dos associados, que contribuíram com perguntas, e o palestrante pode dar dicas de cuidados e precauções de vendedores e consumidores. “A reclamação de um consumidor tem muito poder. Atenda bem o seu cliente e, se precisar, vá atrás, tente ajudar”, disse, alertando para o poder das redes sociais. “A Internet tem muito poder hoje em dia. Por isso, tomem certos cuidados como empresa. A primeira atitude ao nos depararmos com uma reclamação compartilhada nas redes sociais é fazer o contato com o consumidor que reclamou. Busque auxiliar e resolver o problema, mesmo que você não seja o fabricante do produto”, concluiu.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...