Dieta para Vacas Leiteiras é tema de curso em Teutônia

Um grupo formado por agricultores, alunos do Colégio Teutônia e técnicos da Emater/RS-Ascar dos municípios de Bom Retiro do Sul, Westfália, Lajeado, Brochier, Tabaí, Poço das Antas e Teutônia participou entre terça e quarta-feira (30/06 e 01/07), de um curso em Dietas para Vacas Leiteiras. Realizada no Centro de Formação de Agricultores de Teutônia (Certa), no Colégio Teutônia, a capacitação, em seu primeiro módulo, abordou temas, como, introdução para dieta de ruminantes, fisiologia digestiva, variáveis das exigências nutricionais e consumo de matéria seca e tipos de alimentos.

De acordo com o coordenador do Certa, técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar, Maicon Berwanger, durante a atividade, os bovinocultores de leite também foram capacitados para trabalhar com planilhas para gerenciamento do rebanho e com o Programa Boviter, que possibilita uma maior precisão nos cálculos para as dietas dos animais. “O objetivo da atividade é dar uma maior autonomia para os agricultores, uma vez que a alimentação do rebanho representa um dos fatores mais impactantes nos custos de produção, chegando a atingir a marca de 65% do valor investido”, explica.

Berwanger ressalta que a qualificação possibilitará aos produtores decidir o que colocar na alimentação de seus animais, de acordo com a época do ano, e tendo por base o aumento de preço eventual de rações e concentrados. “Essa mudança da alimentação é um trabalho eficaz, se feito com consciência e com o uso de produtos qualificados, algo que não seria possível com a simples compra de insumos de fora da propriedade”, analisa. “Como consequência desse processo, se torna possível aperfeiçoar a genética do rebanho e também aumentar a produtividade dos animais”, observa.

Para um dos participantes, Miguel Mützenberg Zirbes, da localidade de Linha São João, em Poço das Antas, a qualificação possibilitará uma maior precisão no controle da produção de leite. Ao lado dos pais, Marco e Zoraide, possui 25 vacas, produzindo 500 litros de leite ao dia. “Acredito que esse número possa chegar a 750 litros de leite ao dia, sem um grande aumento do plantel”, projeta. Além da bovinocultura leiteira, a família também trabalha com suinocultura em sistema de terminação. “Penso ser importante diversificar, pra não ficarmos presos a um só tipo de cultivo”, reflete.

Aos 18 anos, Miguel não pensa em sair da propriedade. Quando era mais novo, saiu de casa para trabalhar em uma cooperativa de Teutônia e para estudar no curso técnico Agrícola. “Quando tinha 14 anos só pensava em ir pra cidade”, sorri. Hoje, ao analisar a infraestrutura e a qualidade de vida no meio rural, não se imagina longe do campo. “Temos internet, TV a cabo, carro, acesso a estudo, posso ir a festas no final de semana, jogar futebol, como qualquer jovem”, afirma. “E ainda por cima ganho o meu dinheiro e trabalho no meu horário, sem ninguém pra dizer o que tenho que fazer”, completa.

O segundo módulo do Curso será realizado pelos mesmos produtores participantes nos dias 25 e 26 de agosto. Já a próxima capacitação está prevista para os dias 08 e 09 de setembro. O Certa também oferece formações em outras áreas, como, Bovinocultura Leiteira, Qualidade do Leite e Gerenciamento da Propriedade Rural. As atividades contam com o apoio das cooperativas Languriu, Sicredi Ouro Branco e Certel. Mais informações podem ser obtidas na sede do Certa – na Rua Asidio Dreyer, 154, bairro Teutônia -, pelo e-mail ctteutonia@emater.tche.br, ou ainda no site www.emater.tche.br, no link Centros de Formação.

 

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...